609 mil brasileiros com mais de 20 anos sofrem de obesidade mórbida

609 mil brasileiros com mais de 20 anos sofrem de obesidade mórbida

[Imagem: La familia Pinzón, do pintor colombiano Fernando Botero]

Dados estatísticos

Cerca de 609 mil brasileiros com mais de 20 anos de idade eram obesos mórbidos em 2003. A cifra indica um crescimento de 255% no número de pessoas nessas condições nas últimas três décadas no Brasil, de acordo com um estudo que acaba de ser concluído por pesquisadores das universidades de Brasília (UnB) e de São Paulo (USP).

Os autores do trabalho são Isabella Vasconcellos de Oliveira e Leonor Maria Pacheco Santos, do Departamento de Nutrição da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB, e Wolney Conde, professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). Os resultados foram obtidos a partir de três inquéritos realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Diagnóstico da obesidade mórbida

"Diagnosticamos a obesidade mórbida com base nas informações de peso e altura coletadas nos bancos de dados dos três inquéritos, que constituem a amostra mais representativa do estado nutricional da população adulta brasileira", explicou Leonor, da UnB, à Agência FAPESP.

A obesidade mórbida ocorre quando o Índice de Massa Corporal (IMC), que é o peso do indivíduo dividido pela sua altura ao quadrado, é igual ou maior a 40. O peso normal corresponde à faixa entre 20 e 25. "Calculamos o IMC de todos os indivíduos dessa amostra e, para chegar à estimativa aproximada das 609 mil pessoas, fizemos uma extrapolação considerando o número de brasileiros adultos em 2003", acrescentou.

Tendência de crescimento do problema

Segundo o trabalho, a prevalência de indivíduos com obesidade mórbida em 2003 era de 0,64% entre os brasileiros acima de 20 anos. Em 1999 o índice era de 0,33% e, em 1975, de 0,18%. "Apesar de não termos dados mais atualizados, essa evolução relativa de 255% desde a década de 1970 sinaliza uma tendência de crescimento do problema para os próximos anos", afirmou Leonor.

"A taxa de 0,64% da obesidade mórbida no Brasil é preocupante, mas ainda não temos um quadro de epidemia nas proporções dos Estados Unidos, onde o problema atinge quase 5% da população, de acordo com os dados mais recentes divulgados pelos Centros para Controle e Prevenção de Doenças", disse.

Maior incidência entre mulheres

Ainda segundo o trabalho, há uma maior incidência nos casos de obesidade mórbida entre mulheres, cuja média nacional foi de 0,95%, enquanto 0,32% dos homens com mais de 20 anos sofriam com o problema em 2003. Leonor afirma que tanto a obesidade como a obesidade mórbida são mais freqüentes em mulheres no Brasil.

"Não há muita explicação precisa para isso e mais estudos com esse enfoque deveriam ser feitos. Mas uma das hipóteses é que, por se dedicar a trabalhos mais leves que não demandam muita força muscular, há uma tendência entre as mulheres pela maior ingestão de calorias comparada ao gasto energético. Durante a gestação elas também acumulam gordura no corpo para a fase de lactação e, se o desmame é precoce, esse acúmulo de peso também pode ser maior", disse.


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Dietas e Emagrecimento

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.