Adolescentes obesos precisam de perda de peso pequena

"Não é preciso perder 20 kg em pouco tempo, como normalmente se procura fazer, para evitar os problemas de saúde que se agravam com o excesso de peso", diz Ana Dâmaso, professora da Universidade Federal de São Paulo.

Ana é coordenadora de um estudo interdisciplinar, envolvendo médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e fisioterapeutas, acompanharam adolescentes de 14 a 19 anos e peso entre 101 e 120 kg, durante um ano.

A equipe buscava motivar os jovens a perderem peso gradativamente, por meio de exercícios físicos e da incorporação de uma dieta mais rica em verduras e frutas e de hábitos de vida mais saudáveis, como dormir mais cedo e pelo menos oito horas, em vez de passar a noite na internet comendo batatinhas fritas.

Perda de peso paulatina

Os resultados surpreenderam ao depor contra as propostas radicais, de perda de peso intenso em curtos períodos.

Os pesquisadores constataram que perder apenas 8% do excesso de peso, o equivalente a uma redução de 6 a 11 quilogramas (kg) da massa corporal, pode ser o bastante para desfazer as alterações metabólicas causadas pela obesidade.

Além disso, esse percentual de perda de peso permitiu manter a fome sob controle e sair da faixa de risco para diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares, que normalmente acompanham a obesidade.

Outros estudos já haviam detectado que uma perda de 5 kg de peso reduzia à metade o risco de diabetes tipo 2, hipertensão, câncer, problemas nos rins, no pâncreas e no fígado, além de dificuldade para dormir.

Agora, com os novos resultados, começa a ser definido um valor de redução de peso necessário para recolocar o organismo em ordem.

De acordo com o Ministério da Saúde, 20% dos adolescentes e 48% da população estão acima do peso recomendado para a idade e a altura.

"Quanto mais cedo trabalharmos com adolescentes obesos e propusermos mudanças no estilo de vida, menor será a carga de doenças crônicas entre adultos e menores os gastos do sistema público de saúde", disse Danielle Caranti, membro da equipe.

Perda de peso mínima entre adultos

Adultos obesos provavelmente terão de perder mais peso do que os adolescentes para desfazer as alterações metabólicas causadas pela obesidade.

De acordo com um estudo ainda em andamento, envolvendo 43 pessoas com idade entre 21 e 60 anos, os níveis de hormônios que controlam o apetite e os processos inflamatórios decorrentes do excesso de peso podem estar até três vezes acima do normal nos adultos, desse modo exigindo mais esforço e tempo para voltarem aos níveis considerados saudáveis.

Segundo Danielle Caranti, coordenadora dessa segunda pesquisa, os resultados preliminares indicam que, em adultos, a redução mínima de massa corporal necessária para normalizar os níveis dos principais hormônios ligados à obesidade parece ser da ordem de 10% a 20%, algo que se obtém com pelo menos um ano de exercícios físicos e ajustes na dieta e no estilo de vida.


Ver mais notícias sobre os temas:

Obesidade

Dietas e Emagrecimento

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.