Um quarto das garotas entre 10 e 15 anos já usou a pílula do dia seguinte

Levantamento da Casa da Adolescente, em São Paulo, mostrou que 23% das garotas atendidas já usaram a pílula do dia seguinte para evitar uma gravidez indesejada.

Foram ouvidas 600 delas, entre 10 e 15 anos de idade.

De acordo com a pesquisa, 75% das meninas e 60% dos garotos já conheciam o medicamento para impedir a gestação.

A preocupação é que as adolescentes estão deixando de lado a prevenção contínua - o uso de pílulas anticoncepcionais e do preservativo - para usarem a contracepção de emergência.

"Para eles, a pílula de emergência é como uma varinha mágica. Virou a pílula do fim de semana, está sendo usada como se fosse anticoncepcional, porque algumas meninas chegam a tomar seis, sete vezes em um mês". disse a coordenadora do Programa Estadual de Saúde do Adolescente, Albertina Duarte.

Segundo ela, a pílula de emergência é indicada em casos de estupro, quando o preservativo estoura, sai do lugar ou fica preso no corpo da mulher, ou até mesmo quando a mulher esqueceu de tomar o anticoncepcional rotineiramente.

A segurança também não é garantida: De cada 20 garotas que tomam a pílula do dia seguinte, três engravidam, segundo Albertina.

Entre os riscos de abusar desse método, além da possibilidade de gravidez, está o desequilíbrio hormonal, pois uma pílula do dia seguinte equivale a meia cartela do anticoncepcional comum.

"É um bombardeio porque uma dose que tomaria em 15 dias, ela toma de uma vez. Pode ter hemorragia e não reconhecer mais seu organismo, podendo achar que está menstruada e que não tem risco de engravidar," diz Albertina.

A pílula do dia seguinte usa os mesmos hormônios utilizados no anticoncepcional convencional, porém com dosagem maior. O uso é recomendado até 72 horas após a relação sexual.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sexualidade

Gravidez

Prevenção

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.