Alegria de torcedor de futebol dura pouco

Vitórias esquecidas

Por mais apaixonados que sejam os torcedores de futebol, o bem-estar gerado pela vitória do time do coração é bem menor do que se poderia imaginar.

Psicólogos da Universidade de Konstanz (Alemanha) concluíram que as vitórias nos jogos de futebol elevam a sensação imediata de bem-estar dos torcedores, mas não consegue sustentá-la a longo prazo.

O aumento da sensação de bem-estar gerada pela vitória dura apenas entre 100 e 150 minutos após o jogo, retornando aos níveis apresentados nos dias em que não há jogos do time preferido.

E é bom destacar que a equipe não acompanhou as emoções geradas por qualquer sequência de partidas de futebol, mas o bem-estar gerado nos torcedores alemães pela seleção da Alemanha durante a Copa do Mundo de futebol realizada no Brasil no ano passado.

Alegria de torcedor dura pouco

Stefan Stieger e sua equipe usaram um aplicativo de celular para monitorar continuamente um grupo de voluntários durante a Copa - metade torcedores e metade pessoas que não se interessavam por futebol e não assistiam as partidas da Alemanha.

Os torcedores apresentaram um maior nível de bem-estar nos dias dos jogos do que os não-torcedores.

Esse nível foi ainda maior após as vitórias, sendo particularmente mais elevado quando a Alemanha ganhava por uma margem de gols maior.

Mas o ganho de bem-estar decaia rapidamente apenas algumas horas depois dos jogos, voltando a um nível comparável ao dos não-torcedores.

Se o resultado puder ser invertido, parece ser uma boa notícia que a tristeza gerada nos torcedores dos times que perderam para a Alemanha - se é que alguém se lembra de algum - pode também ter durado pouco.


Ver mais notícias sobre os temas:

Emoções

Diversão

Atividades Físicas

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.