Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

13/07/2012

Altruísmo aumenta massa cinzenta do cérebro

Redação do Diário da Saúde
Altruísmo aumenta massa cinzenta do cérebro
A junção entre os lobos parietal e temporal (amarelo) é fortemente correlacionada com o comportamento altruístico da pessoa.[Imagem: University of Zurich]

Altruísmo no cérebro

Cientistas descobriram que pessoas altruístas apresentam um significativo incremento na massa cinzenta do cérebro.

"Este é o primeiro estudo a relacionar a anatomia do cérebro e a ativação do cérebro humano para o altruísmo," disse Ernst Fehr, da Universidade de Zurique.

"Os resultados sugerem que o desenvolvimento do altruísmo através de um treinamento adequado ou práticas sociais pode ocorrer através de mudanças na estrutura cerebral e das ativações neurais que identificamos em nosso estudo," prevê ele.

Holismo científico

Descobertas recentes das neurociências têm revolucionado o conhecimento que temos do cérebro.

Mas, depois de décadas de determinismo biológico - a crença de que somos o que somos devido unicamente à nossa biologia - a ciência tem timidamente começado a ceder espaço para percepções mais integrais do ser humano.

A descoberta de que o cérebro é altamente adaptável levou a descobertas como a de que as mudanças no cérebro podem ser induzidas voluntariamente, dando sustentação a novas pesquisas na área de psicoterapia e meditação, entre outras, abrindo caminho para terapias não-medicamentosas de alta eficácia.

O presente estudo não se insere diretamente nessa linha, mas lhe dá um forte suporte experimental.

Empatia e altruísmo

Pessoas com elevada empatia e capacidade de compreensão dos outros são mais altruístas.

Por sua vez, a capacidade de compreender as perspectivas dos outros já havia sido previamente associada com a maior atividade em uma região do cérebro conhecida como a junção temporoparietal.

Com base nestes resultados passados, Fehr e sua equipe levantaram a hipótese de que o tamanho da junção temporoparietal e seus níveis de ativação poderiam dar pistas sobre diferenças individuais quanto ao altruísmo.

A interpretação subjacente é de que o altruísmo é a empatia posta em ação, assim como a caridade é o amor em movimento.

As imagens de tomografia cerebral não deixaram dúvidas: quanto mais difícil é o ato altruístico - o experimento envolvia dar até todo o seu dinheiro para os outros - maior é a ativação da junção temporoparietal, algo não percebido naqueles que simplesmente preferem ficar com seu próprio dinheiro.

Além disso, essa maior ativação é suportada por uma junção temporoparietal fisicamente maior.

Treinando o altruísmo

"Nós elucidamos a relação entre o hardware e o software do comportamento altruístico humano," comemora Yosuke Morishima, coautor do estudo.

"Esses resultados são muito entusiasmantes para nós. Entretanto, ninguém deve ir logo tirando a conclusão de que o comportamento altruístico é determinado apenas pelos fatores biológicos," alerta o Dr. Fehr.

Segundo ele, os resultados levantam a questão fascinante de se é possível promover o desenvolvimento de regiões cerebrais que deem suporte ao comportamento altruístico.

A meditação parece ser um bom ponto de partida para tentar responder essa questão:


Ver mais notícias sobre os temas:

Sentimentos

Emoções

Cérebro

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento