Ameixas secas reduzem risco de câncer de cólon

Ameixas para bactérias

Uma dieta rica em ameixas secas mostrou-se capaz de afetar positivamente a microbiota, a população de bactérias benéficas que vivem em nosso sistema gastrointestinal.

O efeito desse incentivo para as bactérias comensais foi uma redução no risco de câncer de cólon, ou colorretal.

"Nós fomos capazes de mostrar que as ameixas secas promovem a retenção das bactérias benéficas em todo o cólon e, fazendo isto, elas podem reduzir o risco de câncer de cólon," confirma a pesquisadora Nancy Turner, da Universidade do Texas (EUA), que fez a descoberta em colaboração com colegas da Universidade da Carolina do Norte.

"A partir deste estudo foi possível concluir que as ameixas secas de fato promovem a retenção da microbiota benéfica e melhoram o metabolismo microbiano em todo o cólon, o que foi associado com uma redução na incidência de lesões pré-cancerosas," disse Nancy.

Estratégia dietética

Pesquisas anteriores já mostraram que danos à microbiota estão envolvidos no surgimento de inflamações intestinais e recorrência de crises inflamatórias que podem promover o desenvolvimento do câncer de cólon.

Igualmente, vários estudos já mostraram que a dieta pode alterar o metabolismo e a composição da microbiota do intestino.

A equipe então testou a hipótese largamente difundida de que as ameixas secas têm efeitos intestinais benéficos. Os resultados foram positivos em modelos animais do câncer de cólon humano.

Agora serão necessárias pesquisas em humanos para confirmação dos resultados, abrindo o caminho para usar as ameixas secas como uma estratégia dietética simples e barata para ajudar a reduzir o risco do câncer de cólon.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos Naturais

Alimentação e Nutrição

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.