Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

19/12/2011

Amizade virtual não é "amizade menor", é nova forma de estar junto

Com informações da Agência USP

Concepção de amizade

É senso comum dizer que o computador não substitui a experiência real de relacionamento com outras pessoas.

Mesmo assim, é possível conhecer alguém e manter uma amizade virtual autêntica.

"Há uma mudança da concepção da amizade neste início de século 21. A amizade é um relacionamento que se dá cada vez mais no âmbito do compartilhamento e troca de ideias.

"O amigo não é necessariamente aquele que está ao lado, mas alguém com quem o estar junto se dá por meio de uma conversa, da troca de opiniões, experiências e concepções de pensamento", afirma Lívia Godinho Nery Gomes Azevedo, Universidade Federal de Sergipe.

Novo tipo de amizade

Segundo a pesquisadora, as amizades virtuais, assim como as convencionais, favorecem o aumento da reflexão e da ação das pessoas a partir do que o outro fala - ou escreve.

Ou seja, a amizade construída virtualmente não é uma "amizade menor", mas um novo tipo de amizade, uma nova maneira de estar junto.

Os intercâmbios de experiências e opiniões suscitam transformações subjetivas nas pessoas, que modificam seu modo de pensar e que podem levar à ação, segundo a pesquisadora.

Etnografia virtual

A pesquisadora, em seu trabalho realizado na Universidade de São Paulo, utilizou uma metodologia chamada etnografia, que envolve ir a campo e conhecer as pessoas ambientadas nas relações ou situações a serem estudadas.

"O método da pesquisa foi a etnografia virtual. Conheci e conversei com as pessoas pela internet," conta ela.

Lívia diz que esperava conversas curtas e com palavras abreviadas, mas foi surpreendida com entrevistas virtuais de em média uma hora e 45 minutos de duração.

"As conversas me mostraram que as relações podem ser duradouras e que há autenticidade afetiva nelas. Também, as novas tecnologias favorecem o encontro entre as pessoas", revela.

Alguns dos entrevistados mantinham projetos profissionais e artísticos com amigos virtuais. "Uma menina, que era atriz, contou que conheceu uma amiga pela internet. Ambas moravam na mesma cidade mas nunca se encontraram, mas uma escrevia roteiro e enviava para a outra, por exemplo. Outro entrevistado conseguiu montar uma banda com gente que conheceu pela internet".

Reflexão

Segundo a autora, as relações de amizades mediadas pela internet têm como especificidade uma intensa troca de opiniões, que levam as pessoas à reflexão.

"As pessoas são instigadas a pensar e encontram-se implicadas no exercício político de considerar a opinião do outro. De fato, neste tipo de relação, quando o interlocutor é considerado amigo é porque de algum modo o que ele fala e pensa já sensibilizou ou afetou o seu outro", afirma.

Lívia ainda afirma que cada vez mais as relações sociais estão sendo mediadas pelas tecnologias da informática.

"Muitas pessoas não têm acesso à internet e, por isso, acabam excluídas, não podendo exercer plenamente sua cidadania. O não acesso a serviços que são oferecidos exclusivamente via internet, bem como a dispositivos tecnológicos cada vez mais presentes em todas as esferas da vida cotidiana conduzem a novos territórios de exclusão", explica.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sentimentos

Relacionamentos

Softwares

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão