Análise do hálito pode identificar infecções no pulmão

Exame pelo cheiro

A análise do hálito de um paciente pode detectar bactérias do pulmão e diagnosticar infecções em minutos, ao invés das semanas geralmente necessárias para exames usuais com o mesmo objetivo.

O diagnóstico de infecções desse tipo tradicionalmente envolve a coleta de uma amostra que é usada para o cultivo da bactéria em laboratório.

A bactéria é então testada e classificada, para que os especialistas possam avaliar qual o antibiótico mais adequado para o tratamento.

Já o método que analisa o hálito é bem mais rápido e menos invasivo, segundo os pesquisadores.

Esta é mais uma em uma série de pesquisas que mostram uma nova abordagem para o diagnóstico de doenças:

Já existem vários equipamentos sendo aprimorados para realizar o diagnóstico, uma família de sensores comumente conhecida como narizes eletrônicos.

Compostos voláteis

Os cientistas da Universidade de Vermont (EUA) analisaram compostos orgânicos voláteis (VOC, na sigla em inglês) detectados no hálito que é exalado, vindo dos pulmões.

Com estes compostos, eles podem identificar bactérias diferentes e também variedades diferentes da mesma bactéria.

Os compostos no hálito foram analisados usando uma técnica chamada espectrometria de massa secundária com ionização por eletro-aspersão (SESI-MIS, na sigla em inglês), que é capaz de detectar elementos extremamente pequenos presentes no hálito.

Os pesquisadores também conseguiram diferenciar duas bactérias diferentes e duas variedades diferentes da Pseudomonas aeruginosa.

"Agora estamos colaborando com colegas para retirar amostras de pacientes e demonstrar os pontos fortes e as limitações da análise de hálito", afirmou Jane Hill, uma das autoras do estudo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Exames

Saúde Bucal

Sistema Respiratório

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.