Aprenda a diagnosticar primeiros sinais de um derrame

Aprenda a diagnosticar primeiros sinais de um derrame
Tomografia mostrando uma área enegrecida compatível com AVC isquêmico.
[Imagem: Wikimedia/Lucien Monfils]

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), ou derrame, é uma das principais causas de mortalidade e incapacitação no Brasil.

A identificação precoce dos sintomas é determinante para evitar danos ao cérebro - até 3 horas depois de ocorrido, é possível reverter a maior parte dos danos causados pelo AVC.

Depois disso, no entanto, as lesões cerebrais dificilmente podem ser tratadas. Por isso, saber identificar os sintomas iniciais e acionar prontamente o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) pelo telefone 192 pode salvar a vida ou evitar sequelas graves ao paciente.

Conheça alguns sintomas do AVC

  • Alteração da força muscular ou formigamento, principalmente dos braços, pernas ou de um lado do corpo;
  • assimetria facial;
  • dificuldade na fala;
  • movimentação da língua;
  • outros sinais, como cor de cabeça súbita e intensa sem causa aparente, perda da visão de um olho ou dos dois e vertigem súbita intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos também podem indicar a presença de um derrame.

Exame básico

Uma avaliação superficial das funções motoras pode revelar um derrame cerebral.

Para saber se alguém pode ter sofrido um AVC, peça para a pessoa levantar os braços, sorrir, repetir uma frase e colocar a língua para fora e para os lados.

Caso a pessoa apresente dificuldades nestas tarefas, ela deve ser levada imediatamente a um hospital.

Tipos de AVC

O AVC é uma alteração na circulação sanguínea do cérebro, que pode ser de dois tipos: isquêmico, o mais comum, ou hemorrágico.

O AVC isquêmico é provocado pela obstrução de uma ou mais artérias e geralmente ocorre em pessoas mais velhas, com diabetes, colesterol elevado ou hipertensão.

O AVC hemorrágico é mais grave, ocorre com a ruptura de uma artéria. O derramamento de sangue na caixa craniana oferece danos muito mais graves e pode ocorrer até em pessoais mais jovens.

Em áreas mais importantes do cérebro, o derrame é mais prejudicial. Lesões mínimas nesses locais são mais graves. Em áreas cerebrais menos utilizadas, os efeitos são menores.

No caso de indivíduos destros, lesões no hemisfério esquerdo do cérebro são mais prejudiciais, pois esse é o lado que comanda o lado direito do corpo. E vice-versa para canhotos.

Prevenção do AVC

Muitos fatores de risco contribuem para o seu aparecimento.

Alguns desses fatores não podem ser modificados, como a idade, a raça, a constituição genética e o sexo.

Outros fatores, entretanto, podem ser diagnosticados e tratados, tais como a hipertensão arterial (pressão alta), o diabetes, as doenças cardíacas, a enxaqueca, o uso de anticoncepcionais hormonais, a ingestão de bebidas alcoólicas, o fumo, o sedentarismo (falta de atividades físicas) e a obesidade.

A adequação dos hábitos de vida diária é primordial para a prevenção do AVC.


Ver mais notícias sobre os temas:

Diagnósticos

Prevenção

Neurociências

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.