Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

01/11/2011

Azeite e óleo de linhaça reduzem obesidade e diabetes

Com informações do Jornal da Unicamp

Inflamação no cérebro

Uma pesquisa realizada na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), mostrou que a ingestão diária de pequenas doses de azeite de oliva e óleo de linhaça reduzem a obesidade e o diabetes tipo 2.

Ambos os óleos contêm nutrientes que apresentam ações no hipotálamo, órgão responsável pela sensação de fome e queima da gordura corporal.

De acordo com outras pesquisas anteriores da mesma equipe, o consumo de gorduras saturadas como manteiga, leite integral, carnes gordas e alguns tipos de pães levam a uma inflamação, principalmente do sistema nervoso central, que tem o hipotálamo como centro controlador da fome e do gasto energético.

"Com o hipotálamo inflamado, o cérebro não consegue perceber que organismo já está alimentado e precisa parar de comer", explica Juliana Contin Moraes Martins, autora do estudo.

Gorduras insaturadas

Se as gorduras saturadas levam a uma inflamação do hipotálamo, poderiam as gorduras insaturadas como o ômega-9, presente no azeite de oliva e o ômega-3, presente no óleo da semente de linhaça reverter esse quadro?

Essa foi a questão levantada pela pesquisadora, que buscou respondê-la usando modelo animais.

"Pelos resultados prévios em animais, a perda de peso é bastante significativa. Há um restabelecimento da função hipotalâmica.

"Com a adição do azeite de oliva e do óleo de linhaça na alimentação, conseguimos proteger os animais do ganho de peso causado pela ingestão em excesso de gordura saturada e melhorar a sensibilidade à insulina e à glicose.

"O azeite de oliva e óleo de linhaça são salvaguardas nas dietas e bom funcionamento do organismo", revela Juliana.

Cirurgia bariátrica

A próxima fase do estudo será feita em pacientes humanos.

A bióloga pretende utilizar o azeite de oliva e o óleo de linhaça no tratamento de pacientes com obesidade mórbida atendidos pela equipe de cirurgia bariátrica do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp.

Pessoas obesas apresentam alterações morfológicas no hipotálamo e marcadores inflamatórios na circulação sanguínea. Após a cirurgia, esses marcadores inflamatórios diminuem devido a perda de peso.

"Queremos suplementar a dieta dessas pessoas obesas com óleo de linhaça e azeite de oliva para diminuir esses marcadores inflamatórios antes da cirurgia bariátrica. Isto em 2012 depois de rigorosos protocolos aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa", revela a pesquisadora.


Ver mais notícias sobre os temas:

Obesidade

Dietas e Emagrecimento

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Conferência mundial discutirá segurança dos alimentos geneticamente modificados

Chá verde melhora conectividade do cérebro

Vaginas produzidas em laboratório são implantadas em pacientes

Xixi com cloro da piscina faz mal mesmo

Brasil desvaloriza parto normal e sagra-se campeão mundial de cesáreas