Batidas do coração geram energia para marca-passos

Batidas do coração geram energia para alimentar marca-passos
O gerador é formato por películas muito finas de um material conhecido como piezoelétrico, que transforma movimentos mecânicos em eletricidade.
[Imagem: Karami/Inman/APL]

Cirurgia para trocar pilhas

Marca-passos e desfibriladores mantêm milhares de pacientes cardíacos vivos no mundo inteiro.

Mas eles têm um inconveniente: suas baterias descarregam e precisam ser trocadas, mais ou menos a cada dez anos.

Isso significa cirurgias certas, com todos os riscos associados, sobretudo em pacientes que normalmente são mais idosos.

Há tempos os engenheiros tentam eliminar essas baterias.

E a saída pode ter sido encontrada pela equipe do Dr. Amin Karami, da Universidade de Michigan (EUA).

Energia das vibrações do coração

Os engenheiros projetaram um equipamento que gera energia elétrica usando a reverberação dos próprios batimentos cardíacos.

"A ideia é usar as vibrações ambientais que são tipicamente desperdiçadas, e convertê-las em energia elétrica. Se você puser a mão sobre seu coração, sentirá essas vibrações se espalhando sobre todo o peito," diz o Dr. Karami.

O gerador é formato por películas muito finas de um material conhecido como piezoelétrico, que transforma movimentos mecânicos em eletricidade.

É o mesmo tipo de material usado em acendedores de fogão e isqueiros, e que recentemente foi utilizado para criar um aparelho elétrico que alivia a dor e a coceira de picada de insetos.

As vibrações produzidas pelo coração, pelo respirar e até pelo falar, que se espalham por todo o tronco, farão vibrar minúsculas lâminas desse material piezoelétrico.

Ao vibrar, o dispositivo gera energia elétrica.

Gerador para marca-passos

Karami e seu colega Daniel Inman usaram simulações em computador para projetar o gerador piezoelétrico que responde a uma ampla faixa de vibrações, o que aumenta sua capacidade de geração de energia.

Pequenos ímãs fornecem uma força adicional que eleva drasticamente os sinais elétricos resultantes das vibrações.

O novo equipamento pode gerar 10 microwatts de potência, o que é cerca de oito vezes mais do que um marca-passos precisa para funcionar.

Segundo as simulações - os pesquisadores ainda não testaram o equipamento na prática - o aparelho sempre gera mais energia do que o marca-passos precisa, funcionando muito além dos limites normais do coração - de 7 a 700 batimentos por minuto.


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Coração

Robótica

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.