Beta-amiloide pode ser consequência, e não causa do Alzheimer

Beta-amiloide é consequência, e não causa

A deposição do amiloide beta no cérebro de indivíduos com doença de Alzheimer é o foco da maioria das pesquisas tanto com relação à causa, quanto com relação ao tratamento da condição.

Embora não haja um consenso quanto ao fato de a deposição contribuir para a doença ou ser uma consequência do Mal de Alzheimer, já existe concordância que a deposição do amiloide beta não é favorecida termodinamicamente, o que significa que há outra coisa por trás promovendo o processo.

Por exemplo, uma pesquisa recente mostrou que o problema na verdade pode ser a falta de amiloide beta produzida pelos neurônios que cause do Alzheimer.

Componente amiloide P sérico

Agora, Chris Exley e seus colegas da Universidade Keele, no Reino Unido, estão relatando que outras proteínas são depositadas in vivo com o beta-amiloide.

E uma dessas proteínas, que é particularmente intrigante, é o componente P do soro amiloide (ou SAP: serum amyloid P - ou componente amiloide P sérico).

Pesquisas recentes sugerem que o SAP atinge níveis elevados na doença de Alzheimer.

Exley e seus colegas demonstraram que concentrações fisiologicamente significativas de SAP promovem a deposição de beta-amiloide em condições similares aos encontrados in vivo.

"Nós mostramos que o componente amiloide P sérico é ligado por fibrilas de amiloide beta e que esta interação estabiliza as fibrilas em escalas de tempo que são fisiologicamente significativas," explica o pesquisador.

"Este é o primeiro exemplo de uma biomolécula fisiologicamente significativa promovendo e estabilizando a formação de fibrilas amiloides do amiloide beta 42 sob condições quase fisiológicas," completou.

Alumínio e Alzheimer

O grupo também descobriu que esta propriedade do SAP foi aumentada na presença de alumínio, um metal que também é codepositado com o amiloide beta na doença de Alzheimer.

Tem havido esforços recentes para reduzir a concentração plasmática de SAP como uma terapia para a doença de Alzheimer, e esta nova pesquisa fornece um forte indício de que o componente amiloide P sérico está envolvido na deposição do amiloide beta 42 na doença de Alzheimer.

Assim, a redução da concentração plasmática de SAP também poderia reduzir a deposição do amiloide beta.

As observações suportam o uso do componente P do soro amiloide como um alvo terapêutico na doença de Alzheimer.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Cérebro

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.