Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

09/04/2012

Beta-amiloide pode ser consequência, e não causa do Alzheimer

Redação do Diário da Saúde

Beta-amiloide é consequência, e não causa

A deposição do amiloide beta no cérebro de indivíduos com doença de Alzheimer é o foco da maioria das pesquisas tanto com relação à causa, quanto com relação ao tratamento da condição.

Embora não haja um consenso quanto ao fato de a deposição contribuir para a doença ou ser uma consequência do Mal de Alzheimer, já existe concordância que a deposição do amiloide beta não é favorecida termodinamicamente, o que significa que há outra coisa por trás promovendo o processo.

Por exemplo, uma pesquisa recente mostrou que o problema na verdade pode ser a falta de amiloide beta produzida pelos neurônios que cause do Alzheimer.

Componente amiloide P sérico

Agora, Chris Exley e seus colegas da Universidade Keele, no Reino Unido, estão relatando que outras proteínas são depositadas in vivo com o beta-amiloide.

E uma dessas proteínas, que é particularmente intrigante, é o componente P do soro amiloide (ou SAP: serum amyloid P - ou componente amiloide P sérico).

Pesquisas recentes sugerem que o SAP atinge níveis elevados na doença de Alzheimer.

Exley e seus colegas demonstraram que concentrações fisiologicamente significativas de SAP promovem a deposição de beta-amiloide em condições similares aos encontrados in vivo.

"Nós mostramos que o componente amiloide P sérico é ligado por fibrilas de amiloide beta e que esta interação estabiliza as fibrilas em escalas de tempo que são fisiologicamente significativas," explica o pesquisador.

"Este é o primeiro exemplo de uma biomolécula fisiologicamente significativa promovendo e estabilizando a formação de fibrilas amiloides do amiloide beta 42 sob condições quase fisiológicas," completou.

Alumínio e Alzheimer

O grupo também descobriu que esta propriedade do SAP foi aumentada na presença de alumínio, um metal que também é codepositado com o amiloide beta na doença de Alzheimer.

Tem havido esforços recentes para reduzir a concentração plasmática de SAP como uma terapia para a doença de Alzheimer, e esta nova pesquisa fornece um forte indício de que o componente amiloide P sérico está envolvido na deposição do amiloide beta 42 na doença de Alzheimer.

Assim, a redução da concentração plasmática de SAP também poderia reduzir a deposição do amiloide beta.

As observações suportam o uso do componente P do soro amiloide como um alvo terapêutico na doença de Alzheimer.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Cérebro

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?