Boas relações sexuais duram minutos, e não horas, dizem terapeutas

Relações sexuais satisfatórias

Uma relação sexual satisfatória para os casais dura entre 3 e 13 minutos, contrariamente à fantasia popular sobre a necessidade de horas de atividade sexual, de acordo com uma pesquisa feita por sexólogos norte-americanos e canadenses.

Os pesquisadores Eric Corty e Jenay Guardiani fizeram uma pesquisa com 50 membros da Sociedade para Pesquisas e Terapias do Sexo, que congrega psicólogos, médicos, assistentes sociais, terapeutas de casais e enfermeiros que, coletivamente, já trataram de milhares de pacientes ao longo de várias décadas.

Duração das relações sexuais

Trinta e quatro, o equivalente a 68 por cento do grupo, responderam a pesquisa e estipularam as durações das relações sexuais, da penetração da vagina pelo pênis até a ejaculação, que elas consideram adequadas, desejáveis, muito curtas ou muito longas.

A média das respostas dos terapeutas definiu as faixas de tempo da penetração sexual: "adequado," de 3 a 7 minutos; "desejável," de 7 a 13 minutos; "muito curto," de 1 a 2 minutos; e "muito longo," de 10 a 30 minutos.

Fantasias sexuais

"A interpretação que um homem ou um mulher fazem de seu desempenho sexual, assim como do desempenho do seu parceiro, está estabelecida em crenças pessoais, desenvolvidas em parte segundo mensagens sociais, formais e informais," diz o estudo. "Infelizmente, a cultura popular de hoje tem reforçado os estereótipos sobre a atividade sexual. Muitos homens e mulheres parecem acreditar no modelo fantasioso de grandes pênis, ereções duras como rocha e relações que duram a noite toda."

Pesquisas anteriores descobriram que uma grande porcentagem de homens e mulheres queriam sexo que durasse 30 minutos ou mais.

"Esta parece ser uma situação pronta para o desapontamento e a insatisfação," diz o Dr. Eric Corty, um dos autores do estudo. "Com esta pesquisa, nós esperamos dissipar essas fantasias e encorajar homens e mulheres com dados realísticos sobre relações sexuais aceitáveis, evitando desapontamentos e disfunções sexuais."

Tratamento de disfunções sexuais

A pesquisa também tem implicações para tratamento de pessoas que possuem problemas sexuais.

"Se um paciente está preocupado com quanto tempo a penetração deve durar, esses dados podem ajudar a tirar o paciente das preocupações com distúrbios físicos e receber um tratamento inicial com aconselhamento, e não com medicamentos," diz Corty.


Ver mais notícias sobre os temas:

Relacionamentos

Sentimentos

Auto-imagem

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.