Brainstorming funciona melhor para problemas mais genéricos

Brainstorming funciona melhor para problemas mais genéricos
A técnica de brainstormin não parece ser efetiva para o desenvolvimento de produtos com alta densidade de tecnologia ou para resolver problemas relativos a áreas muito específicas.
[Imagem: UT Arlington]

Utilidade do brainstorming

As técnicas de brainstorming - ou tempestade cerebral, onde pessoas se reúnem e "liberam" quaisquer ideias sobre o tema objeto da discussão - funcionam melhor para o desenvolvimento de produtos simples e para encontrar soluções para problemas mais genéricos dentro de uma organização.

A técnica não parece ser efetiva para o desenvolvimento de produtos com alta densidade de tecnologia ou para resolver problemas relativos a áreas muito específicas.

A conclusão é de pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos. O estudo foi publicado na revista Management Insights.

Trabalho em grupo versus trabalho individual

A aplicação das técnicas de brainstorming para o desenvolvimento de novos produtos funciona melhor quando o trabalho colaborativo emprega participantes de especialidades diferentes para desenvolver um produto menos complexo.

Quando os produtos que se quer desenvolver são altamente técnicos, a melhor maneira de desenvolvê-los é deixar especialistas trabalharem individualmente e fazê-los colaborar por meio de grupos "nominais", diz o estudo.

Grupos nominais

Desde 1950, a eficácia do brainstorming tem sido amplamente debatida.

Enquanto alguns pesquisadores e profissionais consideram-na a forma padrão para a geração da ideias e o método ideal para a solução de problemas nas organizações, parte da literatura das ciências sociais tem defendido o emprego de grupos nominais, em que o mesmo número de indivíduos gera soluções trabalhando de forma isolada.

Os autores revisitaram este debate e exploraram as implicações que a estrutura do problema e a diversidade entre os membros da equipe têm sobre a qualidade da melhor solução obtida, empregando as duas abordagens.

Quando usar e quando não usar o brainstorming

Eles concluíram que os grupos nominais têm melhor desempenho em problemas especializados, mesmo quando os fatores que afetam a qualidade da solução exibem interações complexas (problema de maior complexidade).

Em problemas que atingem várias especialidades, o brainstorming explora a diversidade de competências dos participantes do grupo para alcançar melhores soluções.


Ver mais notícias sobre os temas:

Trabalho e Emprego

Educação

Cérebro

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.