Campinas atinge 101% da meta de vacinação contra rubéola

Superando as metas

Campinas acaba de bater mais um recorde com a vacinação de 374.337 pessoas de 20 a 39 anos durante a Campanha pela Eliminação da Rubéola, iniciada em 9 de agosto em todo o País.

O dado representa 101% de cobertura até domingo, dia 14 de dezembro, quando a estratégia foi encerrada. Segundo a Fundação Seade, o município tem 370.780 moradores nesta faixa etária.

Rubéola e sarampo

A vacinação na cidade supera, inclusive, o índice de pessoas adultas imunizadas no decorrer da campanha contra o sarampo em 1992, que até então constava como a maior vacinação já feita no País. Esta estratégia de eliminação da rubéola foi a maior mobilização já realizada em todo o mundo com o objetivo de imunizar adultos - mais de 70 milhões de pessoas no País.

A enfermeira sanitarista Maria do Carmo Ferreira, da Vigilância em Saúde de Campinas, avalia o resultado como um excelente esforço de todas as equipes de saúde do Município. Ela diz que também teve influência no resultado a qualidade das parcerias estabelecidas e das estratégias que incluíram atividades como buscar adultos jovens nas ruas, universidades, shoppings, empresas, igrejas, jogos de futebol, bailes, e percorrer bairros para vacinar de casa em casa pessoas que, por algum motivo, não procuraram os centros de saúde ou não foram contempladas pelos postos volantes de vacinação.

Elogios da OPAS

O resultado obtido por Campinas rendeu elogios por parte da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), que acompanhou e orientou a avaliação da estratégia na cidade desde setembro. A consultora da OPAS, a médica sanitarista Regina Durón, se disse impressionada, principalmente com os trabalhos 'extra-muros'. "O que presenciei em Campinas servirá de exemplo para as campanhas em outras cidades populosas do Planeta", afirmou.

Regina Durón ressaltou a importância epidemiológica da rubéola que, na mulher grávida, pode causar aborto ou seqüelas irreversíveis para o bebê como cegueira, surdez, retardo mental e cardiopatias, entre outras. É a Síndrome da Rubéola Congênita (SRC).

Situação Epidemiológica

Nos últimos dois anos, ocorreram surtos de rubéola de forma dispersa em todo o Brasil, uma ameaça à população ainda não vacinada. Em 2007, foram registrados 8.407 casos, sendo 161 em mulheres grávidas, o que resultou em 20 recém-nascidos com Síndrome da Rubéola Congênita. Em Campinas, foram 11 casos de rubéola em 2007 e pelo menos sete em 2008 (este dado ainda é provisório).

Eliminação da rubéola nas Américas

A campanha de vacinação causa impacto imediato para alcançar a meta de eliminação da Rubéola nas Américas até 2010, um compromisso internacional e nacional assumido pelo Brasil durante a 44ª reunião do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).


Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Prevenção

Gravidez

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.