Capacidade de rever as próprias metas melhora qualidade de vida

Metas inatingíveis

A maioria das pessoas organiza suas vidas estabelecendo objetivos para si mesmas.

Mas o que acontece quando uma experiência daquelas capazes de mudar a vida da gente faz com que essas metas tornem-se inalcançáveis?

Pesquisadores decidiram encontrar a resposta a esta pergunta junto a mulheres que enfrentaram e venceram o câncer de mama.

O trabalho foi realizado por Carsten Wrosch e Catherine Sabiston, da Universidade de Concórdia (Canadá).

Lidar com novas realidades

O estudo mostrou que a reconstrução dos próprios objetivos - ser capaz de definir novas metas - está associado com mais atividade física, aumento do bem-estar emocional e menos sintomas físicos.

Além disso, as sobreviventes que foram capazes de deixar pra lá velhas metas e encontrar novos objetivos eram menos sedentárias, o que contribuiu para uma melhoria do bem-estar.

"Ao envolver-se em novas metas, uma pessoa pode reduzir a angústia que surge do desejo de atingir o inatingível, ao mesmo tempo mantendo um senso de propósito na vida, encontrando outras atividades de valor," disse Wrosch.

"Abandonar velhas metas permite que alguém invista tempo e energia suficientes para lidar eficazmente com as suas novas realidades," concluem os pesquisadores.

Deixar pra lá

O estudo demonstrou que as mulheres que foram capazes de deixar de lado as velhas metas e definir novas, em conformidade com sua nova situação, apresentam um bem-estar geral significativamente melhor.

Assim que foi removida a pressão auto-imposta pelas próprias metas, agora tornadas irrealistas pela nova situação, a qualidade de vida das pacientes melhorou.

As estatísticas mostram que cerca de 48% das sobreviventes de câncer de mama ficam com sobrepeso ou obesas. Elas também tendem a ser mais sedentárias que mulheres não diagnosticadas com câncer de mama.

Ou seja, parece que a maioria delas tem dificuldades em "deixar pra lá" os velhos objetivos e estabelecer novos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Qualidade de Vida

Comportamento

Emoções

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.