EUA investigam 14 possíveis casos de transmissão sexual de zika

Zika por via sexual

As autoridades sanitárias dos Estados Unidos informaram que estão investigando 14 casos de infeção de vírus zika no país que podem ter sido transmitidos por via sexual.

Dois dos casos são de mulheres cuja infeção foi confirmada e que não viajaram para países afetados pela epidemia da doença.

O único fator de risco conhecido permanece na transmissão sexual, porque os seus parceiros visitaram as regiões afetadas, explicou, em comunicado, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano. Os homens estão sendo examinados para determinar se estão infectados pelo vírus.

Em outras quatro mulheres, os resultados preliminares dos testes também confirmaram infecção com o vírus e o CDC aguarda os resultados dos exames feitos em mais oito mulheres.

Epidemia de zika

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que a epidemia de zika poderá afetar entre 3 milhões e 4 milhões de pessoas no continente americano. O Brasil e a Colômbia são os países onde se registram mais casos de infectados e de suspeitos.

A OMS determinou que o surto do vírus zika constitui uma emergência sanitária de alcance internacional.

O vírus é transmitido aos seres humanos pela picada de pernilongos Aedes aegypti infectados e está associado a complicações neurológicas e má-formações em fetos. A mesma espécie de inseto também é responsável pela transmissão da dengue e da febre chikungunya.


Ver mais notícias sobre os temas:

Epidemias

Sexualidade

Vírus

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.