Tratamento a laser interrompe arritmia cardíaca

Tratamento com catéter-balão a laser interrompe arritmia cardíaca
Na parte clínica do estudo, o catéter-balão a laser removeu as células com falhas com 100 por cento de exatidão.
[Imagem: AHA]

catéter-balão a laser

Um novo tratamento, chamado catéter-balão a laser, guiado visualmente, conseguiu interromper com sucesso a arritmia cardíaca em cobaias e em pacientes.

O estudo, que mostrou a eficiência do tratamento a laser para inibir os batimentos cardíacos irregulares e intermitentes, foi publicado na revista médica Circulation: Arrhythmia and Electrophysiology.

Ablação

Casos graves de arritmia cardíaca podem exigir um procedimento chamado ablação, que destrói um grupo de células que "disparam" incorretamente, para que eles parem de gerar os impulsos elétricos anormais que causam a pulsação irregular do coração.

Os pesquisadores dirigiram sua atenção para células nas veias pulmonares que transportam o sangue dos pulmões para o coração.

Na parte clínica do estudo, o catéter-balão a laser removeu as células com falhas com 100 por cento de exatidão.

Em 84 por cento das veias pulmonares tratadas os pulsos elétricos cessaram depois de apenas uma aplicação do tratamento a laser. Três meses após o tratamento, 90 por cento das veias tratadas permaneceram inativas.

Tratamento guiado visualmente

Ao contrário de outros catéteres, que dependem de raios X para a orientação visual do cirurgião, no novo tratamento os médicos usam um instrumento delgado, chamado endoscópio, que fornece imagens contínuas em tempo real.

Isso permitiu que os pesquisadores apontassem o laser com precisão nas veias pulmonares. A luz destruiu as células em um padrão de sobreposição para "desconectá-las" completamente e impedir que novas conexões elétricas voltassem a se formar.

Para o modelo animal, os cientistas examinaram porcos porque seu coração tem uma estrutura similar aos dos seres humanos.

Os pesquisadores inativaram o funcionamento anormal das veias pulmonares em 97 por cento dos casos após o primeiro tratamento com o catéter-balão a laser. Quatro semanas depois, 80 por cento das veias removidas ainda estavam inativas.

Batimento cardíaco intermitente

O estudo incluiu 27 pacientes, com idade média de 53 anos, dois terços do sexo masculino, com diagnóstico de batimento cardíaco anormal intermitente (chamada fibrilação atrial paroxística ou PAF).

Todos os pacientes tinham experimentado pelo menos um medicamento que não aliviou os sintomas.

Segundo os pesquisadores, antes que o novo procedimento chegue aos hospitais, serão necessárias pesquisas adicionais para determinar a segurança a longo prazo e a eficácia do catéter-balão guiado por laser. A pesquisa está sendo financiada por uma empresa fabricantes de equipamentos médicos chamada CardioFocus.


Ver mais notícias sobre os temas:

Tratamentos

Coração

Equipamentos Médicos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.