Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

06/01/2015

Celulares estão dando superpoderes aos seus dedos

Redação do Diário da Saúde
Celulares estão dando superpoderes aos seus dedos
Outro estudo já havia demonstrado que andar e usar o celular ao mesmo tempo modifica o equilíbrio e a postura.[Imagem: DOI:10.1371/journal.pone.0084312.g001]

Dedos no cérebro

Quando as pessoas interagem com seus celulares por meio das telas sensíveis ao toque, elas estão de fato alterando a forma como os seus dedos e os seus cérebros funcionam em conjunto.

Usando eletrodos implantados no couro cabeludo, pesquisadores documentaram que, quanto mais a pessoa usa os dedos em teclados virtuais, maior é a atividade cerebral associada com esses dedos.

"Eu fiquei muito surpreso com a escala das mudanças introduzidas pelo uso dos celulares," disse Arko Ghosh, da Universidade de Zurique (Suíça). "Eu também fiquei impressionado com o quanto as variações entre os indivíduos nos sinais cerebrais associados com as pontas dos dedos podem ser explicadas simplesmente avaliando o uso dos smartphones."

Plasticidade digital

Os neurocientistas vêm estudando há muito tempo a plasticidade do cérebro em grupos de especialistas - músicos ou jogadores de videogames, por exemplo. Mas os smartphones representam uma oportunidade para entender como pessoas sem atributos específicos têm seu cérebro moldado por uma atividade física.

Ghosh e seus colegas usaram um exame de eletroencefalografia em tempo real - similar ao usado nos implantes para controle de equipamentos com o pensamento - para registrar a resposta do cérebro ao toque mecânico no polegar, indicador e médio dos usuários de celulares com telas sensíveis ao toque, em comparação com pessoas que ainda não desistiram de seus celulares mais antigos.

Os dados revelaram que a atividade elétrica no cérebro dos usuários de smartphones é reforçada quando os três dedos são tocados. Na verdade, a intensidade da atividade no córtex do cérebro associado com as pontas dos dedos polegar e indicador foi diretamente proporcional à intensidade do uso do telefone.

Celulares estão dando superpoderes aos seus dedos
Hoje já se sabe que a plasticidade cerebral não é interrompida nem mesmo pela idade. [Imagem: Wikimedia]

Tecnologia remodela o cérebro

Os resultados sugerem que os movimentos repetitivos sobre a superfície da tela do celular remodelam o processamento sensorial da mão, alterando a representação das pontas dos dedos no cérebro.

E isso leva a uma ideia bastante intrigante: "Nós propomos que o processamento sensorial cortical no cérebro contemporâneo está sendo continuamente remodelado pela tecnologia digital pessoal," escreveram Ghosh e seus colegas no artigo publicado na revista Current Biology.

O que exatamente essa influência da tecnologia digital implica para outras áreas das nossas vidas é uma pergunta que deverá ser respondida mais no futuro.

A propósito, continuam Ghosh e seus colegas, a notícia pode não ser tão boa uma vez que já existem evidências associando o uso excessivo do telefone celular com disfunções motoras e com dores.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Relacionamentos

Cérebro

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?