Células-tronco do câncer podem explicar falhas da quimioterapia

Inconvenientes da quimioterapia

A quimioterapia não é o tratamento dos sonhos de ninguém.

Seus efeitos colaterais podem ser radicais.

Mas, pior do que isso, ela nem sempre funciona, como acontece algumas vezes no câncer de mama.

E, algumas vezes, depois que a quimioterapia faz seu trabalho como esperado e desejado, passado algum tempo, o câncer retorna.

A boa notícia é que os cientistas agora começaram a descobrir por que isso acontece.

Ritmo mais lento

Estudando a leucemia, um tipo de câncer no sangue, cientistas descobriram que o retorno da doença acontece por culpa de um grupo de células cancerosas que não se proliferam tão rapidamente quanto as demais.

Células cancerosas são conhecidas pelo seu crescimento rápido e desordenado.

Este é o alvo principal da quimioterapia, que ataca especificamente células que estejam se dividindo rápido demais.

Quando destrói essas células, a quimioterapia cura o paciente, eliminando o câncer.

O intrigante é que, em alguns pacientes, a doença retorna algum tempo depois.

"Células-tronco do câncer"

Estudando o caso específico da leucemia, os cientistas descobriram que o mecanismo de ação da quimioterapia não alcança células que, apesar de não se dividirem tão rapidamente, são células tumorais.

Eles chamam esse grupo celular de "células-tronco do câncer".

Isto porque, passado o efeito da quimioterapia, elas dão origem a novas células cancerosas com capacidade de reprodução rápida, o que marca a volta da doença.

De posse da nova descoberta, os pesquisadores agora podem começar a procurar formas de melhorar a quimioterapia, ou associá-la com tratamentos que possam destruir as "células-tronco do câncer".


Ver mais notícias sobre os temas:

Quimioterapia

Câncer

Células-tronco

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.