Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

17/10/2013

Cérebro libera analgésico natural quando você leva um fora

Redação do Diário da Saúde
Cérebro libera analgésico natural durante a
Esta é uma imagem do cérebro mostrando em laranja/vermelho uma área do cérebro onde o sistema natural analgésico (opioide) foi muito ativo nos voluntários que enfrentavam uma rejeição social simulada.[Imagem: University of Michigan]

Quando sentimos dor, nosso cérebro possui um agente específico, chamado sistema opioide, que libera uma espécie de analgésico natural, que ajuda a amortecer o sofrimento.

Até hoje, acreditava-se que o sistema opioide entrava em ação apenas quando se tratasse de dor física.

Agora, porém, pela primeira vez se demonstrou que o sistema opioide funciona também para aliviar a chamada "dor social", ou "dor moral".

Segundo os pesquisadores, a descoberta vai ajudar na compreensão da depressão, da ansiedade social e de diversas fobias.

Palavras que ferem

O que se comprovou agora é que o sistema analgésico natural do cérebro, baseado nos chamados "receptores opioides", responde também à rejeição social, e não apenas aos danos físicos.

Mais do que isso, as pessoas com alta pontuação em um traço de personalidade chamado resiliência - a capacidade de se ajustar a mudanças ambientais - apresentam a maior intensidade de ativação dos analgésicos naturais.

"Este é o primeiro estudo a perscrutar o cérebro humano para mostrar que o sistema opioide é ativado durante a rejeição social," garante o professor David Hsu, da Universidade de Michigan (EUA).

Assim, se é verdade que algumas palavras podem ferir mais do que as pedras atiradas contra você, felizmente parece que temos um aliado dentro do nosso próprio cérebro, que tem seu próprio jeito de nos ajudar a aliviar a dor social.

Analgésicos do cérebro

O estudo envolveu adultos que foram convidados a ver fotos e perfis pessoais fictícios de centenas de outros adultos. Cada voluntário selecionou pessoas nas quais poderia estar mais interessado para uma relação romântica - uma configuração semelhante ao que ocorre nos sites de namoro online.

Mas então, quando os participantes estavam deitados em uma máquina que faz imagens do cérebro, chamada scanner PET, eles foram informados de que as pessoas que eles selecionaram como atraentes e interessantes não estavam interessadas neles.

As varreduras do cérebro feitas durante esses momentos mostraram liberação de opioides, medidos através da disponibilidade de receptores mu-opioides nas células cerebrais.

O efeito foi maior nas regiões estriato ventral, amígdala, tálamo da linha média e substância cinzenta periaquedutal - áreas do cérebro que também são conhecidas por estarem envolvidas na dor física.

Sensibilidade

De forma bastante interessante, os pesquisadores já tinham informado previamente aos participantes que os perfis de "namoro" não eram reais e, portanto, qualquer "rejeição" também não seria real.

Mas, mesmo assim, a rejeição social simulada foi suficiente para causar uma resposta tanto emocional quanto dos opioides previamente ligados à dor física.


Ver mais notícias sobre os temas:

Emoções

Cérebro

Relacionamentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão