Chefes ruins colocam saúde dos trabalhadores em risco

Chefes ruins colocam saúde dos trabalhadores em risco
Quanto mais tempo uma pessoa trabalha com um chefe ruim, mais elevado é o seu risco de sofrer um ataque cardíaco nos próximos 10 anos.
[Imagem: Wikimedia/lumaxart]

Liderança doente

A percepção que um trabalhador tem a respeito de seu chefe como sendo um mau líder não apenas aumenta a incidência de faltas ao trabalho por problemas de saúde, como também leva a um maior risco de doenças entre esses trabalhadores no decorrer da sua vida.

Esta é a segunda pesquisa em menos de uma semana que relata os efeitos danosos que a incapacidade de liderança e a falta de preparo dos chefes exercem sobre seus subordinados - veja Postura negativa dos chefes ameaça saúde mental dos trabalhadores.

Esta nova pesquisa demonstrou que, quanto mais tempo uma pessoa trabalha com um chefe ruim, mais elevado é o seu risco de sofrer um ataque cardíaco nos próximos 10 anos. O estudo foi feito no Instituto Karolinska, uma das principais instituições científicas da Suécia.

A pesquisa baseou-se em dados de mais de 20.000 trabalhadores nas mais diversas áreas, de escritórios e hotelaria à construção civil e madeireiras. A pesquisa incluiu empresas da Finlândia, Alemanha, Polônia e Itália, assim como grupos representativos da população e da indústria da Suécia.

Fatores positivos e negativos da liderança

Os pesquisadores compararam níveis de estresse relatado pelos trabalhadores, indicadores de saúde, faltas ao trabalho por doença e exaustão emocional.

Esses dados foram cruzados com a percepção que os trabalhadores tinham da liderança dos seus chefes em termos de critérios positivos e negativos, tais como atuação inspiradora, apoio e capacidade de delegação, de um lado, e autoritarismo, desonestidade e distanciamento, do outro.

Os pesquisadores também procuraram pelos efeitos do estilo de liderança sobre a mudança de emprego, demissão por problemas de saúde ou simplesmente ficar desempregado.

Riscos de uma liderança ruim

Uma das pesquisas examinou a correlação entre como os funcionários avaliavam seus chefes e o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares graves num período de até 10 anos depois do início da pesquisa.

Eles descobriram que os trabalhadores homens apresentam um risco 25% maior de sofrer infarto do miocárdio durante o período de 10 anos de acompanhamento quando, no início da pesquisa, eles demonstraram "desprazer" em trabalhar com seus chefes.

Além disso, o nível de risco aumentou de forma mais aguda quanto maior o tempo de trabalho com os chefes tidos como maus líderes.

Maus chefes têm efeitos duradouros

Outro resultado do estudo é que as mulheres e homens suecos que avaliaram seus chefes como inspiradores, positivos e entusiásticos, também relataram menos faltas ao trabalho e demissões por motivos de saúde. Esta correlação foi independente da avaliação que haviam feito sobre a própria saúde.

"Em vários dos estudos, nós controlamos para um grande número de causas que poderiam competir para explicar os resultados de saúde negativos, mas não conseguimos encontrar nada," afirma Anna Nyberg, coordenadora da pesquisa.

"A conclusão definitiva é que nossos resultados mostram que há uma relação entre como os trabalhadores percebem os seus gerentes e como eles se sentem, física e mentalmente, e não apenas durante o expediente, mas muito mais tarde na vida," conclui Anna.


Ver mais notícias sobre os temas:

Trabalho e Emprego

Coração

Ética

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.