Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

01/04/2013

Chip para controlar apetite pode combater obesidade?

Redação do Diário da Saúde

Ideias

Pode um chip implantado na barriga vencer a força do apetite, ou substituir a força de vontade para que as pessoas comam menos?

Chris Toumazou e Stephen Bloom, do Imperial College de Londres, acreditam que sim.

A dupla desenvolveu um chip que pretende enviar sinais a um nervo que, entre outras funções, envia ao cérebro os sinais do que está acontecendo no estômago.

É um trabalho ainda em estágio inicial, e o chip não foi testado nem mesmo em animais, portanto, não se sabe se ele vai funcionar.

Mas a expectativa dos pesquisadores é que o pequeno circuito integrado, implantado no abdome, possa ser uma alternativa à cirurgia de redução do estômago, ou cirurgia bariátrica.

Nervo vago

O chip deverá ter seus eletrodos ligados ao nervo vago (pneumogástrico), que ajuda a controlar, entre outras funções do organismo, o apetite.

O nervo vago é responsável pela inervação de praticamente todos os órgãos abaixo do pescoço que recebem inervação parassimpática (pulmão, coração, estômago, intestino delgado, etc), exceto parte do intestino grosso e órgãos sexuais.

O chip foi projetado para ler os estímulos elétricos e químicos que estão transitando pelo nervo, detectando sinais indicadores de fome.

Quando esses sinais são detectados, o chip passa a enviar ao nervo seus próprios sinais, amortecendo os sinais naturais do apetite, eventualmente reduzindo a fome do indivíduo.

Chips do apetite

Um implante eletrônico para controlar o apetite não é exatamente uma novidade.

A empresa norte-americana EnteroMedics possui um sistema desses em estágio bem mais avançado, atualmente aprovado para testes em humanos nos Estados Unidos.

Os testes da EnteroMedics começaram há cerca de cinco anos e, até agora, segundo a empresa, mais de 600 pacientes já receberam os implantes.

Já a IntraPace, outra empresa que possui sistema similar, afirma ter implantado seu sistema em 31 pacientes, alcançando uma "perda de peso excessivo média" de 30% em 12 meses.


Ver mais notícias sobre os temas:

Obesidade

Neurociências

Robótica

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão