Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

11/05/2012

Ciência feita na Estação Espacial vai beneficiar idosos

Com informações da ESA

Sistema imunológico no espaço

Um estudo realizado na Estação Espacial Internacional está dando pistas sobre por que razão o sistema imunológico dos astronautas não funciona tão bem no espaço.

As descobertas poderão beneficiar diretamente os idosos aqui na Terra.

Os astronautas estão sujeitos a diferentes tipos de estresse no processo de adaptação à ausência de gravidade.

Já se sabia que o sistema imunológico não funciona tão bem no espaço. Falta descobrir porque isto acontece, o que é uma das principais metas da ciência médica feita hoje no espaço.

Exame de sangue no espaço

Os pesquisadores agora descobriram que uma enzima, denominada 5-LOX, fica mais ativa em ambientes com ausência de gravidade.

Ciência feita na Estação Espacial vai beneficiar idosos na Terra
Esta é a centrífuga, chamada Kubik, que faz parte dos laboratórios da Estação Espacial Internacional. Seu movimento simula a gravidade no solo, para comparação de diversos experimentos com e sem gravidade. [Imagem: ESA/J. Hatton]

A enzima 5-LOX regula de certo modo a esperança de vida das células. A maior parte das células divide-se e regenera-se, mas o número de vezes que isto acontece é limitado.

Em busca de uma confirmação de que são alterações na atividade da enzima 5-LOX que afetam a saúde dos astronautas no espaço, só havia um laboratório onde isto pudesse ser testado: a própria Estação Espacial Internacional.

A experiência foi a seguinte: Foram recolhidas amostras de sangue de doadores saudáveis, enviadas para a Estação. Uma parte do sangue foi exposta à ausência de gravidade por dois dias, enquanto a outra foi mantida numa pequena centrifugadora para simular a gravidade da Terra.

As amostras foram então congeladas e enviadas de volta para a Terra, para análise.

Enfraquecimento da imunidade

Tal como previsto, a atividade da 5-LOX era maior nas amostras que estiveram em ausência de gravidade do que nas amostras da centrifugadora ou do que no sangue que ficou em terra. Na realidade, as amostras da centrifugadora mantiveram-se idênticas às amostras em terra.

O professor Mauro Maccarrone, da Universidade de Teramo, explica que "agora temos um alvo, uma enzima que pode ter um papel importante no enfraquecimento do sistema imunológico.

"A enzima 5-LOX pode ser bloqueada com moléculas que já existem, portanto a utilização destas descobertas na saúde das pessoas é uma realidade próxima."

Ciência feita na Estação Espacial vai beneficiar idosos na Terra
Amostras de sangue embaladas para envio ao espaço. O experimento completo espera descobrir porque algumas células se replicam menos no espaço, afetando a saúde dos astronautas. [Imagem: ESA/J. Hatton]

Limitar a atividade biológica dos sinais celulares, tais como os controlados pela 5-LOX, pode inclusive atrasar o processo de envelhecimento.

Deficiências imunológicas

A investigação em torno da enzima 5-LOX e dos compostos com ela relacionados continuará.

Uma experiência de seguimento voltou à Terra na semana passada, a bordo de uma cápsula Soyuz. Os cientistas procuram agora outras alterações nas células de forma a perceberem o mecanismo por completo.

As descobertas estão sendo compartilhadas com o restante da comunidade científica, em especial com os cientistas que se dedicam ao estudo das deficiências imunológicas.

Espera-se que os idosos possam-se beneficiar destas pesquisas em um futuro próximo, já que elas são os mais afetados com a queda de resistência imunológica, que vem com a idade.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sistema Imunológico

Terceira Idade

Sistema Circulatório

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento