Cientistas descobrem fonte original da malária em chimpanzés

Cientistas descobrem fonte original da malária em chimpanzés
Cientistas descrevem uma possível fonte original da doença, que teria sido transmitida de chimpanzés a humanos há mais de 5 mil anos.
[Imagem: Wikimedia Commons]

Fonte original da malária

Um grupo internacional de cientistas identificou o que acreditam ser a fonte original da malária, doença infecciosa que atinge cerca de 500 milhões de pessoas por ano no mundo, causando 1,5 milhão de mortes. A origem estaria em um parasita encontrado em chimpanzés na África equatorial.

Segundo Francisco Ayala e seus colegas da Universidade da Califórnia em Irvine, o parasita teria sido transmitido de chimpanzés para humanos talvez tão recentemente quanto há 5 mil anos. E muito possivelmente a transmissão se deu por um único mosquito.

O estudo será publicado esta semana no site e em breve na edição impressa da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Vacina contra a malária

De acordo com os autores, a descoberta poderá ajudar no desenvolvimento de uma vacina contra a malária, além de aumentar o conhecimento de como as doenças infecciosas como a Aids, a síndrome respiratória aguda severa (Sars) ou a nova gripe A (H1N1) são transmitidas de animais ao homem.

"Quando a malária é transmitida aos humanos, ela se torna muito severa rapidamente. A doença em humanos se tornou resistente a muitas drogas. Esperamos que nossa descoberta nos aproxime da produção de uma vacina", disse Ayala.

Malária maligna

A malária maligna, forma mais grave da doença, é causada pelo protozoário Plasmodium falciparum. O parasita é responsável por mais de 80% de todas as infecções e quase todas as mortes causadas pela doença.

Sabia-se que chimpanzés carregam um parente desse parasita chamado Plasmodium reichenowi, mas os cientistas achavam que os dois teriam existido separadamente em humanos e em chimpanzés por pelo menos 5 milhões de anos.

No novo estudo, o grupo examinou diversas novas linhagens do plasmódio encontradas em sangue retirado de chimpanzés selvagens em reservas em Camarões e na Costa do Marfim.

A análise genética feita pelos autores do estudo relacionou a linhagem do Plasmodium falciparum com todas as linhagens conhecidas do parasita humano. Como se verificou pouca variação genética entre as linhagens, pesquisadores calculam que a transmissão teria ocorrido em um passado recente, entre 5 mil e 2 milhões de anos atrás.

A malária maligna teria começado a se espalhar pelas regiões tropicais, e depois pelo mundo, há cerca de 5 mil anos, quando a agricultura começou na África.


Ver mais notícias sobre os temas:

Infecções

Contaminação

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.