Cinco maneiras de se tornar mais criativo

A maioria das pessoas aspira a ser criativa e ter uma visão original que as faça se destacar da multidão.

Mas será a criatividade um processo aleatório ou será algo que pode ser cultivado e desencadeado usando alguma técnica?

Cientistas de todo o mundo estão explorando o que acontece no cérebro que precede o momento "eureca", fundamentando cada vez mais a ideia de que a criatividade pode ser treinada.

As pesquisas sugerem cinco coisas que podem ajudar você soltar seu lado criativo.

Fazer as coisas de forma diferente

Se você quer chegar a soluções inovadoras para um problema que está lhe incomodando, então fazer algo tão simples quanto mudar aspectos de sua rotina diária pode levar a um insight criativo.

A psicóloga Simone Ritter, da Universidade Radboud (Holanda), descobriu que algo tão simples quanto mudar a maneira de fazer o seu sanduíche costumeiro pode ajudar a aumentar os níveis de criatividade.

Ela afirma que as pessoas devem procurar experiências inesperadas se quiserem pensar de forma diferente, e assim abordar os problemas sob uma nova perspectiva.

Alterar sua rotina diária pode resultar em mudanças no seu cérebro.

Rotas neurais muito usadas são abandonadas, e novas conexões feitas entre as células cerebrais. Isto pode levar a ideias novas e originais.

Elimine as distrações

Você também pode tentar treinar seu cérebro para eliminar as distrações - não uma distração para descansar a mente, mas o tipo de distração que tire você do seu foco.

Os neurocientistas acreditam que os momentos de insight ocorrem no lado direito do cérebro, numa área próxima à fronte, chamada giro temporal superior anterior.

As pesquisas sugerem que há um aumento significativo nas ondas cerebrais de alta energia (chamadas de ondas gama) que irrompem a partir deste ponto quando o momento eureca acontece.

O professor John Kounios, da Universidade Drexel (EUA), afirma que, pouco antes do momento eureca, há uma explosão de ondas alfa - associadas com o relaxamento - na parte de trás da cabeça.

As pessoas recebem um monte de informações visualmente, mas essas ondas alfa permitem que o cérebro faça uma leve pausa - muito parecido com o que acontece quando você pisca os olhos.

Isso permite que ideias muito tênues borbulhem para a superfície na forma de um insight.

Trabalhe em tarefas mundanas

Outra atividade para ajudar a acionar suas ondas cerebrais criativas pode ser trabalhar em algo que requeira pouca ou nenhuma reflexão - essa sim, uma distração para relaxar.

"Se você está sem saber o que fazer, faça uma pausa. Permita que os processos inconscientes tomem conta. Mas, em vez de apenas ficar sentado, faça uma caminhada, tome uma chuveirada ou faça algo como jardinagem," explica o professor Jonathan Schooler, da Universidade da Califórnia em Santa Barbara (EUA).

Gregor Mendel, frequentemente descrito como o "pai da genética", passou anos pacientemente estudando e contando ervilhas e abelhas.

Subestimado durante sua vida, ele foi o primeiro a descobrir as leis da hereditariedade.

Várias pesquisas mostram que uma boa distração pode facilitar a solução criativa de problemas.

Não tenha medo de improvisar e correr riscos

O Dr. Charles Limb, da Universidade Johns Hopkins (EUA), afirma que todo mundo é criativo, mesmo que não perceba isso.

"Se as pessoas pensarem sobre seu comportamento diário... a maior parte dele não está previsto, é improvisado. As pessoas realmente não planejam cada segundo o que vão fazer," diz ele.

Ele afirma que os músicos de jazz, juntamente com os rappers, ilustradores e cartunistas, quando estão improvisando, experimentam mudanças em uma área na parte da frente do cérebro chamada córtex pré-frontal.

"É a parte do cérebro que faz de nós seres humanos. Observamos um desligamento do córtex pré-frontal nesses artistas," disse o pesquisador.

Pessoas como essas estão menos propensas a sentir que têm que controlar seu comportamento, e por isso são mais propensas a assumir riscos.

Apenas deixe sua mente vagar

O Dr. Rex Jung, da Universidade do Novo México (EUA), também observou que, quando as pessoas estão envolvidas no processo criativo, há uma clara mudança nos lobos frontais.

Quando há menos atividade nos lobos frontais, é mais provável que você tenha uma ideia original.

O Dr. Jung descreve o fenômeno como uma "hipofrontalidade transitória".

Ele afirma que é possível acionar esse estado cerebral temporário meditando ou dando uma longa caminhada.

Sua ideia original também pode ficar trovoando em sua mente inconsciente por um tempo antes de se tornar consciente. Ou seja, embora o "momento ahá" possa parecer instantâneo, muita coisa acontece antes de você tomar conhecimento consciente da nova ideia.

De acordo com as pesquisas do Dr. Jung, cérebros inventivos são menos lotados e menos organizados, e assim o tráfego nervoso é desacelerado.

Isso dá a oportunidade para a realização de conexões incomuns, mesmo que leve algum tempo para que essas conexões se estabeleçam e seus resultados apareçam.


Ver mais notícias sobre os temas:

Mente

Educação

Neurociências

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.