Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

27/05/2014

O que pensam as companheiras de homens com ejaculação precoce?

Redação do Diário da Saúde
O que pensam as companheiras de homens com ejaculação precoce?
Este é mais um estudo que mostra que muitos homens parecem não saber o que significa "fazer sexo" - enquanto isso, especialistas garantem que boas relações sexuais duram minutos, e não horas.[Imagem: Wikimedia]

A ejaculação prematura, ou precoce, é uma das disfunções sexuais masculinas mais comuns.

Mas, obviamente, a condição não afeta apenas os homens - ela afeta também as suas parceiras.

Foi isso que motivou a pesquisa realizada por Andrea Burri, psicóloga da Universidade de Zurique (Suíça).

Para evitar desvios de natureza cultural, a pesquisadora entrevistou mais de 1.500 mulheres no México, Itália e Coreia do Sul.

Os resultados surpreenderam.

Sexualidade satisfatória

Segundo a Dra. Andrea, não é a duração curta do ato de fazer amor que é considerada primariamente como a principal fonte de frustração sexual da maioria dessas mulheres cujos maridos apresentam a condição.

O que elas não gostam mesmo é do fato de que o homem fica focado demais em retardar a ejaculação.

Como resultado, ele ignora as necessidades sexuais da mulher e é incapaz de satisfazer seus desejos.

Para a maioria das mulheres entrevistadas, uma sexualidade satisfatória não consiste apenas das relações sexuais, mas também inclui beijar, acariciar e outras formas de estimulação sexual, todas consideradas igualmente importantes.

Se o homem está preocupado principalmente com o seu problema - a ejaculação precoce - e, assim, com o seu desempenho, essas necessidades são ignoradas.

O intercurso sexual fica então cada vez mais determinado pelo tempo e não "como nós gostamos e o que é bom para nós," afirmam as entrevistadas.

"No longo prazo, a mulher torna-se angustiada e frustrada. De forma muito semelhante ao que ocorre com o homem [com ejaculação precoce], ela evita o contato sexual por medo de rejeição e pelo trauma resultante para sua própria sexualidade," explica Andrea.

A mulher sofre, assim, uma perda de qualidade de vida, e pode chegar a colocar o relacionamento em questão - mas por motivos diferentes do que o homem pode julgar.

Criatividade sexual

Outro resultado interessante é que são principalmente as mulheres que não percebem o intercurso sexual como o aspecto central da sexualidade - priorizando a criatividade sexual - as que sofrem mais com a atenção unilateral do homem focado na duração do ato.

"Curiosamente, um coito duradouro é importante principalmente para as mulheres que não têm qualquer dificuldade em chegar ao clímax," explica Andrea.

Para as mulheres que raramente atingem o orgasmo - incluindo as que dizem nunca experimentá-lo - quanto tempo dura o coito não é uma questão central.

Em vez disso, o ato sexual serve para estabelecer e experimentar intimidade e compromisso com o parceiro - e, isso sim, deve durar.

Recentemente, outra pesquisa mostrou que exercícios pélvicos de solo curam a ejaculação precoce na maioria dos homens com o problema.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sexualidade

Relacionamentos

Sentimentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?