Consumo de refrigerantes no Brasil cai 20% em seis anos

Os brasileiros consumiram 20% menos refrigerante nos últimos seis anos.

O dado é um dos resultados da pesquisa Vigitel, do Ministério da Saúde - Vigitel é uma sigla para "Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico".

"Em geral, os refrigerantes têm grande adição de açúcar e isso pode levar riscos inerentes à saúde, tanto em relação à obesidade, ao diabetes, como também inúmeras doenças cardiovasculares," disse Deborah Malta, do Ministério da Saúde.

"E, além disso, na sua forma dietética tem, além de inúmeros outros componentes, mas destacamos o teor de sal, que também produz doenças cardiovasculares com destaque para a hipertensão arterial," finalizou Deborah.

A pesquisa mostra que, apesar da queda no consumo, 21% dos entrevistados pelo levantamento disseram que bebem refrigerante cinco vezes por semana.

Diminuir o consumo de refrigerantes e de sucos industrializados é uma das recomendações que podem ser encontradas no Guia Alimentar para a População Brasileira.

Estudos indicam que o consumo de refrigerantes pode causar puberdade precoce nas meninas e reforçam o risco genético da obesidade.

Veja outras reportagens com informações sobre os riscos à saúde do consumo excessivo de refrigerantes:


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Consumo Responsável

Dietas e Emagrecimento

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.