Coração pode explicar porque mulheres vivem mais que homens

Coração pode explicar porque mulheres vivem mais que homens
O coração das mulheres parece ser o grande responsável pela maior longevidade feminina.
[Imagem: USC/Harris Morrison]

Em todo o mundo, as mulheres podem esperar viver mais do que os homens da mesma idade.

Mas por que isso ocorre tem sido um enigma que os médicos ainda não conseguiram solucionar.

O dedo da suspeita agora aponta para uma maior vulnerabilidade a doenças do coração, o que explicaria as taxas de mortalidade em idades mais precoces dos homens do que das mulheres durante o século 20.

Contudo, a diferença parece se concentrar em uma faixa etária específica.

Longevidade das mulheres

"Ficamos surpresos com a forma como a divergência na mortalidade entre homens e mulheres, que se originou já nos anos 1870, concentrou-se na faixa etária de 50 a 70 anos, mas desaparece bruscamente depois dos 80 anos," conta a professora Eileen Crimmins, da Universidade da Califórnia em Davis (EUA).

Ou seja, não se trata exatamente de que as mulheres vivam mais do que os homens - elas morrem menos na faixa de 50 a 70 anos. Os homens que superam essa faixa apresentam longevidade semelhante à das mulheres.

A pesquisadora explica que, conforme a prevenção das doenças infecciosas, melhores dietas e outros comportamentos positivos de saúde foram adotados pelas pessoas nascidas no século 19, as taxas de mortalidade caíram, mas as mulheres começaram a colher os benefícios da longevidade em um ritmo muito mais rápido.

A equipe de Crimmins examinou o tempo de vida das pessoas nascidas entre 1800 e 1935 em 13 países desenvolvidos. Focando na mortalidade dos adultos com mais de 40 anos de idade, os dados mostram que as taxas de mortalidade do sexo feminino diminuíram 70% mais rápido do que as dos homens.

Mesmo quando os pesquisadores isolaram os efeitos das doenças relacionadas com o tabagismo, as doenças cardiovasculares continuam aparecendo como a causa da grande maioria das mortes em excesso nos homens adultos com mais de 40 anos nesse período.

Riscos biológicos e fatores de proteção

O impacto desigual das mortes relacionadas com as doenças cardiovasculares nos homens, especialmente durante a meia-idade e início do envelhecimento, levanta a questão de se os homens e as mulheres enfrentam diferentes riscos de doença cardíaca devido a riscos biológicos inerentes a cada um ou por fatores de proteção em momentos diferentes de suas vidas.

"Estudos adicionais deverão incluir análises da diferença de dieta e atividades físicas entre os países, examinar mais profundamente a genética e a vulnerabilidade biológica entre os sexos no nível celular, e a relação desses resultados com a saúde do cérebro em idades mais avançadas", recomendou Caleb Finch, coautor do estudo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Qualidade de Vida

Terceira Idade

Saúde do Homem

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.