Coração semiartificial testará implantes cardíacos e novas técnicas cirúrgicas

Coração semi-artificial testará implantes cardíacos e novas técnicas cirúrgicas
O sistema cardíaco artificial bombeia líquido através de um coração real retirado de um porco, fazendo-o funcionar de forma realística.
[Imagem: Andy Richards/North Carolina State University]

Coração semiartificial

Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, desenvolveram um sistema cardíaco artificial que bombeia líquido através de um coração real retirado de um porco, fazendo-o funcionar de forma realística.

A nova máquina, provavelmente o melhor modelo de coração artificial já desenvolvido, ajudará os pesquisadores a desenvolver novas ferramentas, novos implantes cardíacos e novas técnicas para cirurgias do coração.

O equipamento economizará tempo e dinheiro, permitindo que os cientistas testem e refinem novas tecnologias em um ambiente realístico, sem os custos associados com os testes em animais.

Restrições ao uso de animais em pesquisas

Atualmente, a maioria dos protótipos de equipamentos e implantes projetados para uso em cirurgias cardíacas são testados em porcos vivos, que possuem válvulas do coração que são anatomicamente similares às válvulas do coração humano.

Contudo, estes testes são caros e demorados, exigindo processos longos para obtenção de autorizações para o uso de animais vivos. Estima-se que esses processos se tornarão cada vez mais custosos e demorados à medida que começam a ser criadas legislações que inibem o uso de animais em pesquisas científicas.

Com o novo equipamento, os pesquisadores poderão obter os corações dos animais abatidos para consumo, de forma rápida e barata.

Simulador dinâmico de coração

O simulador dinâmico de coração é controlado por um computador e opera utilizando uma solução salina pressurizada. O líquido incolor permite que os cientistas filmem o interior do coração em funcionamento, possibilitando verificar com exatidão quais técnicas cirúrgicas e quais implantes funcionam melhor.

"Os testes em animais vivos continuarão sendo necessários, mas nosso sistema cria um estágio intermediário de testes que não existia até agora. Isso permitirá que os pesquisadores façam provas de conceitos e refinem seus aparelhos e técnicas antes de operar os animais vivos," diz o Dr. Greg Buckner, diretor do projeto.

Um teste usando o modelo de coração artificial custará cerca de US$25,00 contra cerca de US$2.500,00 para um teste envolvendo um animal vivo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Coração

Equipamentos Médicos

Transplantes

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.