Crianças são mais vulneráveis ao calor extremo, alerta pediatra

Doenças de verão

As crianças são mais vulneráveis às chamadas doenças de verão - geralmente representadas por sintomas gastrointestinais - do que os adultos e merecem atenção redobrada nesta época de temperaturas mais elevadas. A avaliação é do pediatra e membro do Conselho Federal de Medicina, Luiz Carlos Beirute.

Ele explicou que dois episódios de vômito ou diarreia, por exemplo, são suficientes para provocar desidratação em crianças. Isso porque o organismo delas necessita de mais água do que o dos adultos para funcionar.

Febre, de acordo com o médico, também é sinal de perigo, já que também leva à perda de água por meio do suor.

Brilho dos olhos

Os pais devem ficar alertas a sinais como a perda do brilho dos olhos, um súbito estado inativo e alterações na pele que, nesses casos, fica mais ressecada.

A orientação para prevenir problemas com as crianças, segundo Beirute, é estimular a ingestão de líquidos e de frutas e verduras - nada de alimentos gordurosos e típicos do verão, como churrascos, salgados e enlatados.

"Nos períodos mais quentes, o organismo tem dificuldade em processar os alimentos e por isso ocorrem os episódios de vômito e diarreia", explicou.

Outro cuidado é a exposição ao sol - adultos devem evitar que ela aconteça por mais do que algumas horas e, no caso de crianças, o sol só é permitido antes das 10h e ao fim da tarde.

Fugindo das aglomerações

Ao considerar o período de pré-carnaval em quase todo o país, Beirute destacou que os pais devem evitar levar as crianças para aglomerações. O acúmulo de pessoas abre caminho para a proliferação de viroses e o calor intenso contribui ainda mais. No caso delas, o risco é maior porque o sistema imunológico ainda não está maduro como o de um adulto.

"Ao perceber qualquer sintoma como febre, vômito e diarreia com mais de 24 horas de duração, os pais devem observar a condição geral do paciente. Se estiver debilitado, fraco, sonolento, com reações mais lentas, há sinal de alerta. A orientação é procurar um serviço de emergência", alertou o pediatra.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cuidados com a Família

Cuidados com a Pele

Infecções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.