Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

10/01/2014

Cure a si mesmo: Faça meditação

Da New Scientist
Cure a si mesmo: Faça meditação
Se você não tem tempo para um retiro de três meses, não se preocupe, a meditação pode ser diluída ao longo do dia.[Imagem: Jon Sullivan/Wikimedia]

Monges têm meditado nas montanhas por milênios, na esperança de obter a iluminação espiritual.

Seus esforços provavelmente também reforçaram sua saúde física.

Estudos sobre os efeitos da meditação têm quase sempre envolvido um pequeno número de participantes, mas todos têm sugerido uma série de benefícios.

Há indicações de que a meditação aumenta a resposta imunológica em pessoas que recebem vacinas e em pessoas com câncer, protege contra uma recaída na depressão grave, alivia problemas de pele e até mesmo retarda a progressão do HIV.

A meditação pode até mesmo retardar o processo de envelhecimento. Os telômeros, as capas protetoras nas extremidades dos cromossomos, encurtam-se cada vez que uma célula se divide e assim desempenham um papel no envelhecimento.

A equipe de Clifford Saron, do Centro para a Mente e Cérebro da Universidade da Califórnia (EUA), mostrou recentemente que os níveis de uma enzima que constrói os telômeros se mostraram mais elevados em pessoas que participaram de um retiro de meditação de três meses, do que em um grupo controle (Psychoneuroendocrinology, vol. 36, p. 664).

Especial CURE A SI MESMO

  Espiritualidade e saúde
  Pense positivo
  Auto-hipnose
  Não fique só
  Faça meditação

O mesmo aconteceu em um outro estudo com pacientes com câncer de próstata, que concluiu que a meditação retarda o envelhecimento das células.

Tal como acontece com a interação social, a meditação provavelmente funciona em grande parte influenciando as vias de resposta ao estresse. Embora esse mecanismo seja só uma teoria, pessoas que meditam têm níveis mais baixos de cortisol, e um estudo mostrou que há mudanças na amígdala, uma área do cérebro envolvida com o medo e a resposta às ameaças (Social Cognitive and Affective Neuroscience, vol. 5, p. 11).

Coautora do estudo de Saron, Elissa Epel, psiquiatra da Universidade da Califórnia em São Francisco, acredita que a meditação também pode aumentar as "vias de recuperação e melhoria da saúde", talvez desencadeando a liberação de hormônios sexuais e do crescimento.

Se você não tem tempo para um retiro de três meses, não se preocupe.

A meditação pode causar mudanças estruturais no cérebro depois de nada mais do que 11 horas de prática.

Epel sugere a adoção de "mini-meditações" breves ao longo do dia, tendo alguns minutos em sua mesa para se concentrar na sua respiração, por exemplo: "Pequenos momentos aqui e ali fazem toda a diferença."


Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Espiritualidade

Felicidade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ultrassom no 1º trimestre de gravidez pode agravar autismo

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão