Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

20/10/2014

Curiosidade ajuda no aprendizado e na memória

Redação do Diário da Saúde
Curiosidade ajuda no aprendizado e na memória
Examinando a curiosidade: o estar curioso melhora o aprendizado em geral, mesmo de assuntos não relacionados.[Imagem: UC Davis Center for Neuroscience]

Estado curioso

A curiosidade nos ajuda a aprender sobre um determinado assunto, e "estar em um estado curioso" também ajuda o cérebro a memorizar informações não relacionadas ao assunto que está sendo estudado.

Segundo os pesquisadores, despertar a curiosidade muda nossos cérebros, e pode ajudar a encontrar maneiras de melhorar a aprendizagem em geral e melhorar a memória tanto em indivíduos saudáveis quanto naqueles com condições neurológicas.

"Nossas descobertas podem ter implicações de longo alcance para o público porque revelam insights sobre como uma forma de motivação intrínseca - a curiosidade - afeta a memória," disse o Dr. Matthias Gruber, da Universidade da Califórnia em Davis (EUA).

"Estas descobertas sugerem maneiras de melhorar a aprendizagem em sala de aula e em outros ambientes," ressalta ele acerca do trabalho publicado na revista Neuron.

Vórtice do aprendizado

Os participantes do estudo primeiro classificaram sua curiosidade sobre as respostas a uma série de perguntas que lhes eram mostradas.

Mais tarde, eles tiveram seus cérebros examinados por ressonância magnética funcional enquanto viam as respostas a estas perguntas.

Primeiro, a pergunta era mostrada na tela e, enquanto eles esperavam pela resposta, viam uma imagem de um rosto sem qualquer relação com a questão.

Em seguida, os participantes realizaram um teste de memória surpresa, quando deviam tentar reconhecer os rostos apresentados. E finalmente, passaram por um teste de memória sobre as respostas às perguntas.

Como seria de esperar, eles aprenderam melhor as informações relacionadas às perguntas quando tinham ficado altamente curiosos sobre elas - o que a equipe chama de "estado curioso".

De forma mais surpreendente, os voluntários também mostraram uma melhor aprendizagem dos rostos neutros que foram mostrados junto com as perguntas que haviam despertado sua curiosidade.

E as informações obtidas durante o "estado curioso" foram melhor mantidas ao longo de um período de 24 horas.

"A curiosidade pode colocar o cérebro em um estado que permite aprender e reter qualquer tipo de informação, como um vórtice que suga o que você está motivado para aprender, e também tudo em torno dele," disse Gruber.


Ver mais notícias sobre os temas:

Memória

Educação

Emoções

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão