Curso rápido de meditação ajuda a lidar com a dor

Curso rápido de meditação ajuda a lidar com a dor
Pesquisa demonstra que um curso rápido de meditação pode ajudar as pessoas que estejam passando por problemas de saúde ou mesmo aquelas que têm dores crônicas.
[Imagem: Wikimedia/Sarvodaya Shramadana]

Meditação contra a dor

Viver com dores constantes é algo extremamente estressante. Mas um "investimento" de tempo surpreendentemente pequeno, envolvendo o treinamento mental, pode ajudar as pessoas que estejam passando por problemas de saúde ou mesmo aquelas que têm dores crônicas.

Um estudo realizado na Universidade da Carolina do Norte (EUA), examinou a percepção da dor e os efeitos de várias técnicas de treinamento mental e descobriu que um treinamento rápido e simples de uma técnica chamada meditação da mente aberta tem efeitos positivos significativos sobre a sensação de dor.

Benefícios da meditação

Esta mesma técnica, de origem budista e frequentemente utilizada pela ioga, já mostrou resultados positivos para ampliar as habilidades visoespaciais e até mesmo para diminuir a progressão dos efeitos da infecção pelo HIV.

Ao longo dos últimos dez anos, pesquisas relacionadas à dor têm mostrado extensivamente que a meditação pode ter efeitos positivos na redução da percepção e da sensibilidade das pessoas à dor.

Curso rápido de meditação

Mas nem todas as pessoas têm o tempo, os recursos financeiros ou mesmo o acesso a professores ou escolas de meditação.

Agora, este novo estudo demonstrou que uma única hora de treinamento, subdividida em três períodos de 20 minutos em três dias consecutivos, pode ter o mesmo efeito analgésico oferecido pela meditação mais intensiva.

"Este é o primeiro estudo a demonstrar a eficácia de uma intervenção tão breve na percepção da dor," afirma o Dr. Fadel Zeidan, um dos participantes da pesquisa. "Os participantes não apenas sentiram menos dores do que o grupo de controle durante a meditação, mas também durante os períodos nos quais eles não estavam mais meditando."

Efeitos da meditação sobre o cérebro

"Nós já sabíamos que a meditação tem efeitos significativos sobre a percepção da dor entre as pessoas que a praticam há muito tempo - o cérebro dessas pessoas revela alterações radicais. O que nós não sabíamos é que um excelente resultado poderia ser alcançado em apenas três dias, com apenas 20 minutos de treino por dia," diz Zeidan.

Os pesquisadores montaram seus experimentos de forma a eliminar os efeitos da distração, outro fenômeno que tem conhecidos efeitos sobre a sensação de dor. Mas não restaram dúvidas sobre os efeitos da meditação quando a diminuição da sensação da dor se estendeu por períodos fora do treinamento.

"Isto foi uma surpresa total, porque a mudança na sensibilidade geral à dor nem mesmo fazia parte de nossas hipóteses iniciais," diz o pesquisador.

Só na sensação de dor

Para tirar qualquer dúvida, os pesquisadores idealizaram dois outros experimentos, de forma a eliminar qualquer outra possibilidade de indução sobre os resultados.

Mas a conclusão - o treinamento de meditação de 20 minutos durante três dias diminui as sensações de dor - permaneceram consistentes em todos os experimentos.

Os pesquisadores destacam em seu artigo que a meditação causou uma diminuição na sensação de dor, mas não nas sensações em geral. No experimento envolvendo choques elétricos, por exemplo, todos os participantes do grupo que fez meditação reportou igualmente a sensação da eletricidade em seu corpo, mas a intensidade do choque registrada em seus cérebros foi muito inferior.


Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Dores Crônicas

Emoções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.