Delírio pode ser identificado com duas perguntas

Exame de delírio

Fazer apenas duas perguntas pode ajudar enfermeiros e médicos a identificar o delírio em pacientes hospitalizados - uma forma muito mais rápida e fácil do que as técnicas usadas hoje.

O delírio é uma condição cognitiva reversível que pode ser resolvida se identificada e tratada sem demora.

"O delírio pode ser muito caro e mortal - e, com pacientes de alto risco, o tempo é essencial," explica a professora Donna Fick, da Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA). "Nosso teste de cabeceira de duas perguntas para detectar o delírio leva uma média de 36 segundos para ser feito e tem uma sensitividade de 93%."

Perguntas para identificar delírio

Os pesquisadores queriam desenvolver uma ferramenta que pudesse ser usada prontamente à beira do leito assim que o enfermeiro ou médico suspeitasse do delírio.

"Nós começamos procurando uma única pergunta que pudesse detectar o delírio, mas só conseguimos obter 83% de sensibilidade, o que não é bom o suficiente," disse Fick.

A equipe então partiu em busca da pergunta que faltava - e não foi difícil achar uma.

Perguntar aos pacientes o dia da semana e pedir que eles recitem os meses do ano de trás para frente alcançou uma sensitividade de 93% na identificação do delírio.

A equipe planeja prosseguir a pesquisa em vários hospitais, incluindo centenas de participantes, para determinar a validade do teste de forma mais ampla, bem como a facilidade com que o exame pode ser implementado em situações reais no dia a dia hospitalar.


Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Concentração

Neurociências

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.