Descoberto como as células-tronco embrionárias se desenvolvem em células de tecidos específicos

Descoberto como as células-tronco embrionárias se desenvolvem em células de tecidos específicos

[Imagem: Agilent Technologies]

Capacidades das células-tronco

Embora já se saiba há muito tempo que as células-tronco embrionárias têm a capacidade de se desenvolver em qualquer tipo de célula, formando os vários tecidos do corpo humano, até agora os cientistas não sabiam exatamente como esse processo ocorre.

Agora, um grupo de pesquisadores conseguiu demonstrar graficamente esse processo, resolvendo uma dúvida antiga: se as células-tronco se desenvolvem por meio da ativação seletiva ou da repressão seletiva de genes.

Promiscuidade celular

Os cientistas descobriram que as células-tronco embrionárias expressam grande parte de seu genoma de forma "promíscua."

Essa expressão permissiva inclui genes de linhagens específicas e de tecidos específicos, regiões não-codificadoras do genoma que normalmente são "silenciosas," e seqüências repetitivas no genoma, que compreendem a maioria do genoma dos mamíferos, mas que normalmente também não são expressadas.

Diferenciação das células-tronco embrionárias

Quando as células-tronco embrionárias se diferenciam em células de tecidos específicos, elas passam por um silenciamento genético global. Mas, até que isso ocorra, elas mantêm um genoma aberto e ativo.

Esse pode muito bem ser o segredo do seu sucesso, já que, mantendo essa flexibilidade, elas mantêm sua capacidade de se tornar qualquer tipo de célula. Assim que ocorre o silenciamento, ou repressão genética, essa capacidade é perdida.

Dessa forma, pode-se dizer que as células-tronco embrionárias ficam de prontidão até o último minuto - preparadas para acionar a ativação seletiva em células específicas - mantendo "em suspenso" sua capacidade para se tornar qualquer tipo de célula no local e no momento necessários.

Microarrays de DNA

Para revelar como esse processo ocorre, os pesquisadores criaram a primeira plataforma genômica completa de um camundongo em microarrays de DNA. Microarrays são chips feitos de vidro que permitem a detecção simultânea de milhares de genes. Os microarrays utilizados neste estudo não estavam restritos a genes específicos, mas abarcavam todo o genoma.

Foram necessárias centenas desses microarrays para cobrir todo o genoma em diferentes momentos no tempo durante a diferenciação celular. Foi pela observação dessas seqüências que os pesquisadores foram capazes de determinar exatamente como e quando as células-tronco se desenvolveram em células de tecidos específicos e quanto o silenciamento ocorreu.


Ver mais notícias sobre os temas:

Células-tronco

Genética

Biochips

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.