Diabetes: Nanorrede injetável controla insulina por uma semana

Em um desenvolvimento promissor para o tratamento do diabetes, cientistas desenvolveram uma rede de partículas em nanoescala que podem ser injetadas no corpo para funcionar como se fossem um "pâncreas artificial".

Uma vez no corpo, as nanopartículas liberam insulina quando os níveis de açúcar no sangue aumentam.

Nos testes em animais, o nanomaterial manteve os níveis normais de açúcar no sangue durante mais de uma semana.

"Nós criamos um sistema 'inteligente' que é injetado no corpo e responde a mudanças no nível de açúcar no sangue liberando insulina, efetivamente controlando os níveis de açúcar no sangue," relata o Dr. Gu Zhen, da Universidade do Estado da Carolina do Norte (EUA).

"Nós testamos a tecnologia em camundongos, e uma injeção foi capaz de manter os níveis de açúcar no sangue dentro dos valores normais por até 10 dias," acrescenta.

Diabetes: Nanorrede injetável controla níveis de açúcar no sangue
Quando as enzimas são expostas a altos níveis de glicose, elas convertem a glicose em ácido glucônico, que quebra o dextrano modificado e libera a insulina.
[Imagem: Zhen Gu et al./ACS Nano]

Pâncreas artificial injetável

A nova nanorrede injetável é composta por nanopartículas com um núcleo sólido de insulina, dextrano modificado e enzimas de oxidase da glicose.

Quando as enzimas são expostas a altos níveis de glicose, elas convertem a glicose em ácido glucônico, que quebra o dextrano modificado e libera a insulina.

O ácido glucônico e o dextrano são biocompatíveis e se dissolvem no corpo.

"Esta tecnologia cria efetivamente um sistema 'em circuito fechado' que simula a atividade do pâncreas de uma pessoa saudável, liberando insulina em resposta a alterações no nível de glucose," diz Gu. "Isto tem o potencial para melhorar a saúde e a qualidade de vida de pacientes com diabetes."

A equipe está agora em tratativas para submeter a tecnologia a ensaios clínicos em seres humanos.

Controle do açúcar no sangue

Quando um paciente tem diabetes tipo 1, o seu corpo não produz insulina suficiente, um hormônio que transporta a glicose - ou açúcar do sangue - da corrente sanguínea para as células do corpo. Isto pode causar uma ampla gama de efeitos negativos sobre a saúde.

Atualmente, os pacientes com diabetes precisam coletar amostras de sangue para medir seus níveis de açúcar no sangue - se estiverem baixos, então eles precisam injetar insulina para garantir que os seus níveis de açúcar no sangue voltem aos níveis normais.


Ver mais notícias sobre os temas:

Nanotecnologia

Sistema Circulatório

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.