Diagnóstico precoce é a melhor forma de combater a artrite reumatoide

Diagnóstico precoce é a melhor forma de combater a artrite reumatoide
No Dia Mundial de Conscientização sobre a Artrite Reumatoide, várias ações destacam a importância do diagnóstico e tratamento da doença.
[Imagem: Renato Araújo/ABr]

Fadiga e dor nas articulações

Uma doença que apresenta sintomas iniciais relativamente comuns como a fadiga e dor nas articulações, mas que não tem cura e pode levar à invalidez permanente. Assim é a artrite reumatoide que atinge cerca de 1,5 milhão de brasileiros, a maioria mulheres entre 30 e 50 anos.

Para conscientizar a população da importância de se diagnosticar precocemente a doença, a Sociedade Brasileira de Reumatologia participa do Dia Mundial de Conscientização sobre a Artrite Reumatoide com eventos em sete cidades do país. É o terceiro ano que o Brasil participa da campanha mundial, que começou na Europa.

Inchaços e dificuldade para levantar

Além da fadiga e dor nas articulações, especialmente das mãos, punhos e pés, a enfermidade costuma manifestar-se pelo inchaço permanente nesses locais do corpo e pela chamada rigidez matinal, quando a pessoa tem dificuldade de se mexer ao despertar.

O presidente da Sociedade de Reumatologia do Distrito Federal, Rodrigo Aires Corrêa Lima, explicou que a demora no diagnóstico e tratamento ainda é o maior desafio para o controle da artrite no país. Por isso, a campanha do terceiro ano de realização do evento tem como slogan "Vamos Trabalhar Juntos" - forma de convocar as pessoas a procurarem um especialista ao apresentar os primeiros sintomas.

Prevenção evita cirurgias

O médico destacou que os brasileiros levam de dois a cinco anos para consultar um reumatologista, geralmente quando já se manifestam sintomas mais graves como algum tipo de deformidade, só corrigidas por cirurgia.

"A prevenção, neste caso, é o diagnóstico precoce. Se atendidos cedo, podemos interromper o processo inflamatório nas articulações e melhorar a vida do paciente com o controle da doença", afirmou Rodrigo Aires.

O tratamento pode necessitar de medicações de alto custo, entretanto a maioria fornecida gratuitamente pela rede pública. O presidente da Sociedade de Reumatologia do DF acrescentou que a artrite reumatoide pode, em estágios avançados, atingir o coração e o cérebro, a partir do aumento dos índices de colesterol o que torna os pacientes vulneráveis a outras doenças como infarte e acidente vascular cerebral (AVC).


Ver mais notícias sobre os temas:

Ossos e Articulações

Prevenção

Atividades Físicas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.