Dieta totalmente natural? Isso não existe, diz cientista

Dieta totalmente natural? Isso não existe, diz cientista
"Não há uma maneira natural de comer para a qual precisamos retornar. A cultura influencia tudo o que fazemos," defende a pesquisadora.
[Imagem: Cambridge Press]

Saudosismo alimentar

Da dieta do paleolítico à dieta dos alimentos crus, muitas pessoas preocupadas com a saúde física agora querem comer da maneira que elas acreditam que nossos ancestrais comiam.

Mas algumas dessas prescrições alimentares fazem pouco sentido para os humanos modernos, de acordo com um novo livro sobre a evolução do uso de alimentos e dos hábitos alimentares entre os povos pré-históricos.

Embora haja muito que possamos aprender com o que nossos antepassados comiam, muitos dos nossos alimentos e dietas mais modernos foram desenvolvidos por bons motivos, afirma a Dra. Kristen Gremillion, professora de antropologia da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos.

Dietas naturais

"Os seres humanos são onívoros, nós podemos comer uma grande variedade de coisas," diz Gremillion, que acaba de publicar seu livro Apetites Ancestrais: A Comida na Pré-História, ainda sem lançamento no Brasil.

"Em vez de tentar fundamentar uma dieta saudável naquilo que nós pensamos que as pessoas costumavam comer milhares de anos atrás, faria muito mais sentido olhar para as nossas necessidades nutricionais hoje e encontrar a melhor maneira de atendê-las," explica.

Uma questão que a pesquisadora levanta contra os muitos modismos das novas dietas é a alegação de que elas seriam de algum modo mais "naturais" porque se concentram em um tempo antes que a cultura moderna estragasse nossos hábitos alimentares.

"Esse tempo nunca existiu", disse Gremillion.

"O comportamento alimentar humano não pode ser reduzido apenas à nossa biologia. A cultura sempre exerceu uma influência importante naquilo que nós comemos e como nós comemos. E as pessoas têm sido criativas, encontrando novos alimentos para comer e novas maneiras de prepará-los. Não há como dizer que só há uma forma correta para comermos," completa a pesquisadora.

Dieta do paleolítico

Uma dieta popular hoje é a chamada "paleo" ou "dieta do paleolítico", algumas vezes também chamada de dieta do homem das cavernas.

Esta dieta é baseada no que as pessoas comiam antes da introdução da agricultura. Há uma ênfase em carnes magras e frutas e legumes, evitando alimentos processados e grãos de todos os tipos.

Gremillion afirma que a dieta paleo tem uma base científica e é uma forma saudável de comer. Mas não é de modo algum mais natural do que outras dietas.

"Não é contra a natureza dos seres humanos comer cereais e grãos, apesar do que algumas pessoas possam dizer. Os humanos começaram a agricultura porque era difícil conseguir alimentos suficientes através da caça e da coleta. Grãos de cereais representam uma fonte estável de calorias," disse ela.

Os grãos de cereais não podem ser a única base de uma dieta, mas podem ser parte de uma alimentação saudável, garante.

Dieta dos alimentos crus

Apesar de a dieta paleo ter uma base científica, Gremillion afirma que a dieta de alimentos crus não tem.

Esta dieta enfatiza a obtenção de calorias de alimentos não cozidos e não transformados.

"Não há realmente nada a se ganhar por comer apenas alimentos crus. Cozinhamos os alimentos há centenas de milhares de anos," disse ela.

O cozinhar remove alguns nutrientes dos alimentos, assim como também divide os compostos nos alimentos para tornar alguns nutrientes mais fáceis para serem assimilados por nossos corpos.

Além disso, é muito mais fácil para nossos dentes e mandíbulas comer alimentos cozidos do que rasgar e triturar alimentos duros e fibrosos.

"Cozinhar pegou por um bom motivo, e não há nenhuma razão real para descartá-lo," defende.

Retorno à natureza

A preocupação com o retorno a um estado mais natural muitas vezes envolve não apenas o que comemos, mas como e onde podemos cultivar alimentos e domesticar animais.

Grande parte da própria pesquisa de Gremillion envolve as origens da agricultura e como os povos primitivos interagiam com o meio ambiente.

"Tem havido uma tendência na cultura americana de pensar que a selva virgem é algo totalmente separado das pessoas. Mas é um equívoco pensar que as paisagens que queremos trazer de volta não foram tocados por pessoas," disse ela.

Estudando os nativos da América do Norte, ela afirma que os seres humanos têm interagido com o meio ambiente desde o momento que pisaram no continente.

Uma das primeiras formas que os nativos interagiram com o ambiente foi através do uso do fogo para limpar áreas para a sua utilização. Mais tarde, eles também adotaram a agricultura em pequena escala.

"Mas não era apenas uma ligação espiritual com a natureza. Foi uma maneira prática de viver da terra", disse ela.

Hábitos culturais

Gremillion afirma que, em tudo o que se relaciona à alimentação - os alimentos que comemos, a forma como os cultivamos e como os preparamos - não há uma maneira natural de fazer as coisas.

"Os seres humanos são flexíveis. Isso é o que fazemos melhor do que qualquer outro animal, e isso significa que podemos nos adaptar às condições," disse ela.

"Não há uma maneira natural de comer para a qual precisamos retornar. A cultura influencia tudo o que fazemos," conclui ela.


Ver mais notícias sobre os temas:

Dietas e Emagrecimento

Alimentação e Nutrição

Conservação de Alimentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.