Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

13/07/2011

Quando a tecnologia vira lixo: os efeitos adversos do lixo eletrônico

Michael Bishop

Eletrônicos no ar

Além de seu efeito nocivo sobre o meio ambiente e o contrabando ilegal para os países em desenvolvimento, os pesquisadores agora associaram o lixo eletrônico a efeitos adversos sobre a saúde humana.

Os danos incluem a inflamação e o estresse oxidativo, precursores de doenças cardiovasculares, danos ao DNA e, possivelmente, câncer.

Em um estudo publicado no jornal científico Environmental Research Letters, os pesquisadores recolheram amostras de ar em uma das maiores áreas de desmantelamento de lixo eletrônico na China e examinaram seus efeitos sobre as células epiteliais do pulmão humano.

Lixo eletrônico

O lixo eletrônico inclui aparelhos elétricos e eletrônicos que chegaram ao fim de sua vida útil, como computadores, televisores, impressoras e telefones celulares.

Grande parte do lixo eletrônico de todo o mundo é exportada para a China.

Devido à forma como é feito o processo de reciclagem, a céu aberto, são liberados muitos poluentes, tais como poluentes orgânicos persistentes e metais pesados, que podem facilmente se acumular no corpo humano através da inalação do ar contaminado.

Inflamação e estresse oxidativo

Depois de expor as células pulmonares cultivadas em laboratório aos constituintes orgânico-solúveis e solúveis em água das amostras de ar, os pesquisadores testaram os níveis de interleucina-8 (IL-8), um importante mediador da resposta inflamatória, e Espécies Reativas de Oxigênio (ROS), moléculas quimicamente reativas que, quando em excesso, podem causar grandes danos à saúde.

As amostras também foram testadas para a expressão do gene p53 - um gene supressor de tumor que produz uma proteína que ajuda a neutralizar os danos celulares. A expressão desse gene pode ser vista como um marcador de danos celulares em andamento.

Os resultados mostraram que as amostras de poluentes causaram aumentos significativos tanto do IL-8 quanto dos níveis de ROS - indicadores de uma resposta inflamatória e estresse oxidativo, respectivamente.

Aumentos significativos também foram observados nos níveis da proteína p53, com o risco dos poluentes orgânico-solúveis sendo muito muito maiores do que os poluentes solúveis em água.

"Tanto a resposta inflamatória quanto o estresse oxidativo podem ocasionar danos ao DNA, o que poderia induzir a oncogênese, ou até mesmo câncer. Naturalmente, a resposta inflamatória e o estresse oxidativo também estão associados com outras doenças, como as doenças cardiovasculares," explicou o Dr. Fangxing Yang, da Universidade de Zhejiang.

Desmantelamento primitivo

Agora os cientistas vão prosseguir o estudo, para tentar caracterizar os componentes presentes no ar poluído e identificar os principais contribuintes para estes efeitos adversos.

"A partir destes resultados fica claro que o desmantelamento 'aberto' do lixo eletrônico deve ser proibido, melhorando estas técnicas mais primitivas. Como os resultados mostram potenciais efeitos adversos à saúde humana, os trabalhadores nesses locais também devem receber a proteção adequada," afirmou o cientista.

"Além disso, deve-se considerar o processo de fabricação inicial dos produtos elétricos e eletrônicos, buscando utilizar materiais mais amigáveis ao meio ambiente e aos humanos," concluir Yang.


Ver mais notícias sobre os temas:

Poluição

Sistema Respiratório

Trabalho e Emprego

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão