Nanotecnologia pode acabar com tratamentos de canal

Endodontia regenerativa pode acabar com tratamentos de canal
A endodontia regenerativa pode acabar com os tratamentos de canal tradicionais, usando uma película feita com nanotecnologia para induzir a recuperação da polpa dentária.
[Imagem: Fioretti et al./ACS Nano]

Tratamento de canal

Cientistas anunciaram um avanço significativo rumo a uma verdadeira revolução nos tratamentos dentários.

Eles estão desenvolvendo técnicas para que o tratamento de canal traga os dentes de volta à vida, ao invés de deixar um dente morto, ou "não-vital", na boca dos pacientes.

Nadia Benkirane-Jessel e seus colegas do Centro Nacional de Pesquisas Científicas da França criaram o primeiro filme dental que se aproxima desse objetivo - filme é uma película extremamente fina, contendo poucos átomos de espessura.

Endodontia regenerativa

Os atuais procedimentos de tratamento de canal ajudam a evitar a perda de dentes em milhões de pessoas todos os anos.

Durante o procedimento, o dentista remove a polpa inflamada e dolorida, o tecido mole dentro do dente doente que contém os nervos e os vasos sanguíneos.

Já a chamada endodontia regenerativa busca o desenvolvimento e a implantação de tecidos que substituam a polpa dentária danificada ou doente, com potencial para oferecer uma alternativa revolucionária à simples remoção da polpa.

Os cientistas estão relatando o desenvolvimento de um filme multicamada feito em escala nanométrica - apenas 1/50.000 da espessura de um fio de cabelo humano - contendo uma substância que é capaz de ajudar a regenerar a polpa dentária.

Estimulante hormonal alfa-melanócito

Estudos anteriores mostraram que a substância, chamada estimulante hormonal alfa-melanócito, ou alfa-MSH, possui propriedades anti-inflamatórias.

Os cientistas demonstraram em testes de laboratório que o alfa-MSH, combinado com um polímero, produz um material que combate a inflamação nos fibroblastos da polpa dental. Os fibroblastos são o principal tipo de célula encontrada na polpa dental.

Os nanofilmes contendo alfa-MSH também levaram ao aumento do número dessas células. Isso poderá ajudar a revitalizar os dentes danificados e reduzir a necessidade de um tratamento de canal tradicional invasivo, sugerem os cientistas.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Bucal

Nanotecnologia

Terapias Alternativas

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.