Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

14/11/2011

Para enfrentar uma separação, pegue leve consigo mesmo

Redação do Diário da Saúde
Para enfrentar uma separação, use a autocompaixão
A autocompaixão é a chave para uma superação saudável de uma superação. [Imagem: Jennifer Pahlka/Wikimedia]

Seguir em frente

Uma separação, ou um divórcio, é algo difícil para qualquer um.

Mas algumas pessoas superam o rompimento sem uma angústia avassaladora, ainda que fiquem tristes ou preocupados com dinheiro.

Outros, por seu lado, ficam presos nos sentimentos ruins e parece que não conseguem sair de uma espiral descendente.

O que explica tamanha diferença?

Autocompaixão

A resposta é autocompaixão, segundo David A. Sbarra, que estudou o assunto juntamente com seus colegas Hillary Smith e Matthias Mehl, da Universidade do Arizona (EUA).

A autocompaixão é definida pelos pesquisadores como uma combinação de bondade consigo mesmo, um reconhecimento da própria humanidade, compartilhada com todos os outros, e a capacidade de deixar as emoções dolorosas passarem.

"A autocompaixão pode produzir a resiliência e gerar resultados positivos em face do divórcio," resume Sbarra.

Independentemente de outros traços de personalidade, a capacidade de um melhor ajustamento logo após o divórcio é o melhor indicador de que a pessoa estará "de pé" cerca de um ano depois, segundo a pesquisa.

"A parte surpreendente aqui é que, quando olhamos para um monte de características positivas - tais como autoestima, resistência à depressão, otimismo ou a facilidade com relacionamentos - essa característica de autocompaixão sozinha prevê o que acontecerá mais tarde," explica o pesquisador.

Conselho para quem está separando

Como essas constatações podem ajudar as pessoas que estão atravessando o divórcio?

"Não é fácil dizer 'Seja menos ansioso'. Você não pode mudar sua personalidade tão facilmente. Sabemos também que as mulheres fazem isso melhor do que os homens. Mas você não pode mudar o seu sexo. O que você pode mudar é a sua postura com relação à sua experiência," aconselha Sbarra.

Compreender a sua perda como parte de uma experiência humana maior ajuda a amenizar os sentimentos de isolamento, diz ele.


Ver mais notícias sobre os temas:

Relacionamentos

Sentimentos

Comportamento

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ultrassom no 1º trimestre de gravidez pode agravar autismo

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão