Enzimas deduram câncer de mama ao sistema imunológico

Células cancerígenas não parecem ser de todo más.

Elas liberam enzimas que têm como função proteger o organismo.

Essas enzimas, chamadas metaloproteinases da matriz (MMP-8), enviam uma mensagem ao sistema imunológico para que ele ataque o próprio tumor do qual essas células fazem parte.

A descoberta, feita por cientistas da Universidade East Anglia foi publicada na revista científica Journal of Biological Chemistry.

Dylan Edwards e seus colegas descobriram que as células cancerígenas que produzem altas doses de MMP-8 não sobrevivem porque essas enzimas alertam o sistema imunológico sobre a localização do tumor, ajudando o organismo a atacá-lo.

O estudo, envolvendo pacientes com câncer de mama, revelou que as pacientes cujas células produzem boas doses de MMP-8 têm maiores chances de cura.

Nos anos 1990 foram testados medicamentos contra o câncer de mama que atacavam essas enzimas, devido a estudos iniciais que haviam apontado que essas enzimas também produzem agentes inflamatórios que danificam a estrutura das células, abrindo o caminho para a proliferação do tumor.

Os fármacos não funcionaram, e a conclusão deste novo estudo pode ser uma boa explicação para isso - o candidato a medicamento estava na verdade destruindo uma das fontes de defesa do organismo.

Contudo, as duas conclusões conflitantes agora terão que ser tiradas a limpo, antes que se pense em uma droga que ajude o corpo a se defender.


Ver mais notícias sobre os temas:

Câncer

Sistema Imunológico

Saúde da Mulher

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.