Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

07/07/2008

Equipamento portátil "arranca" dor de cabeça e enxaqueca

Sherri L. Kirk
Equipamento portátil
[Imagem: Hexus]

Tirando a enxaqueca com um aparelho

Um aparelho eletrônico revolucionário, projetado para "arrancar" a dor da enxaqueca antes mesmo que ela comece comprovou ser a próxima geração de auxílio para as pessoas que sofrem dessa doença extremamente debilitadora, de acordo com um novo estudo feito no Centro Médico da Universidade do Estado de Ohio, Estados Unidos.

Os resultados do estudo, apresentados durante a reunião anual da Sociedade Norte-Americano de Dor de Cabeça, realizada em Boston, mostram que o dispositivos experimental é seguro e eficaz na eliminação das dores de cabeça quando administrado durante o surgimento da enxaqueca.

Enxaquecas crônicas

Com uma em cada oito pessoas sofrendo de enxaqueca, o Dr. Yousef Mohammad, um neurologista e principal pesquisador do novo equipamento, afirma que os resultados do estudo são promissores dado que somente entre 50 e 60 por cento dos pacientes de enxaqueca respondem aos tratamentos tradicionais com medicamentos.

O estimulador transcraniano magnético não-invasivo (TMS, na sigla em inglês) interrompe a fase da enxaqueca conhecida como aura, freqüentemente descrita como tempestades elétricas no cérebro, antes que elas levem à dor de cabeça. Pacientes que sofrem de enxaqueca freqüentemente descrevem a "visão" de uma chuva de estrelas cadentes, linhas em ziguezague e luzes piscantes, e experimentam perda de visão, fraqueza, formigamento e confusão, seguidos por dor de cabeça intensa, náuseas e vômitos.

Dor de cabeça

Estudos anteriores, feitos na Universidade de Ohio, utilizando um equipamento TMS gigantesco, reduziram a dor de cabeça. Para permitir o tratamento em casa, os cientistas agora miniaturizaram o aparelho, tornando-o portátil.

"A estimulação com pulsos magnéticos do equipamento TMS portátil provou ser eficaz para os pacientes com enxaqueca," diz Mohammmad. "Graças à ausência de eventos adversos nesses testes e à segurança já confirmada do aparelho TMS, este é um tratamento promissor para enxaquecas com aura. Isto estabelece as bases para futuros estudos em enxaquecas sem aura."

Terapia magnética

O aparelho TMS envia uma forte corrente elétrica através de uma bobina metálica, que cria um intenso campo magnético que dura cerca de um milissegundo. Esse pulso magnético, quando mantido sobre a cabeça de uma pessoa, cria uma corrente elétrica nos neurônios do seu cérebro, interrompendo a aura antes que ela resulte em uma dor de cabeça latejante.

"Os pulsos do equipamento são indolores e seguros," diz Mohammad. "Como a maioria dos medicamentos contra dores de cabeça têm efeitos colaterais, e os pacientes são suscetíveis à viciação com narcóticos, ou desenvolverem dores de cabeça pelo uso freqüente de medicamentos contra-indicados, o equipamento TMS se torna uma grande promessa para os pacientes que têm enxaqueca."

Superexcitação elétrica neuronal

Dos 164 pacientes envolvidos na avaliação clínica e que recebem o tratamento com o TMS, 39 por cento estavam livres das dores de cabeça depois de duas horas do tratamento, comparados com 22 por cento do grupo que recebeu pulsos simulados. Não foram relatadas diferenças relativas a reações adversas entre os dois grupos.

Anteriormente se acredita que as dores de cabeça da enxaqueca começavam com uma constrição vascular, que resultava na aura, seguida por uma dilatação vascular que levava à dor de cabeça latejante.

Entretanto, no final dos anos 1990 foi sugerido que a superexcitação elétrica neuronal resultava na dor de cabeça. Esse novo entendimento do mecanismo da dor de cabeça auxiliou no desenvolvimento do equipamento TMS.


Ver mais notícias sobre os temas:

Dores Crônicas

Cérebro

Terapias Alternativas

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Estudo questiona conclusões de testes de remédios

Pele eletrônica faz detecção precoce de câncer de mama

Comer vicia, mas açúcar e gordura não são drogas, defende cientista

Saiba por que você está vulnerável à chikungunya

Não subestime os "olhos da sua mente"