Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

17/05/2016

Erros médicos são terceira maior causa de morte nos EUA

Redação do Diário da Saúde

Mortes por erros médicos

Analisando dados médicos sobre a causa de óbitos ao longo de um período de oito anos, especialistas da Universidade Johns Hopkins (EUA) concluíram que mais de 250.000 mortes por ano são devidas a erros médicos apenas nos EUA.

Esse número supera a terceira principal causa de mortes no país, as doenças respiratórias, que matam cerca de 150.000 pessoas por ano, segundo os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

A equipe afirma que o modo de coleta das estatísticas nacionais de saúde do CDC não classifica os erros médicos separadamente no registro de óbito. Por isso, os pesquisadores estão defendendo uma atualização dos critérios para a classificação de mortes.

Estatística para faturamento, não para saúde

"O sistema de codificação médica foi projetado para maximizar o faturamento pelos serviços médicos, não para recolher estatísticas nacionais de saúde, como atualmente está sendo usado," afirmou o Dr. Martin Makary, membro da equipe. "As taxas de incidência de mortes diretamente atribuíveis à assistência médica que deu errado não têm sido reconhecidas em qualquer método padronizado para coleta de estatísticas nacionais."

Makary explica que, em 1949, os EUA adotaram uma forma internacional que usa os códigos da Classificação Internacional de Doenças (CID) para relatar as causas de morte.

"Naquela época, era pouco reconhecido que os erros de diagnóstico, erros médicos e a falta de redes de segurança poderiam resultar na morte de alguém, e por causa disso os erros médicos foram involuntariamente excluídos das estatísticas nacionais de saúde," diz ele.

Erros sistêmicos

Os pesquisadores ressaltam que a maioria dos erros médicos não ocorre devido a médicos intrinsecamente ruins, e que relatar esses erros não deve ser objeto de punição ou de ação legal.

Em vez disso, dizem eles, a maioria dos erros ocorre por problemas sistêmicos, incluindo cuidados mal coordenados, redes de seguro fragmentadas, ausência ou subutilização de redes de segurança e outros protocolos, além de uma variação injustificada nos padrões de prática médica que carecem de responsabilização.

Se essas falhas começarem a ser relatadas, todo o sistema de saúde poderá ser melhorado, resultando na redução das mortes desnecessárias ou precoces.

Principais causas de morte

De acordo com o CDC, em 2013, 611.105 pessoas morreram de doenças cardíacas, 584.881 morreram de câncer e 149.205 morreram de doença respiratória crônica - as três principais causas de morte nos EUA. O dado recém-calculado de mortes por erros médicos (250.000) coloca esta causa de morte atrás do câncer e à frente das doenças respiratórias.

"As principais causas de morte, conforme relatadas pelo CDC, fundamentam o financiamento das pesquisas no nosso país e as prioridades de saúde pública," diz Makary. "Neste momento, o câncer e as doenças cardíacas têm uma tonelada de atenção, mas, como os erros médicos não aparecem na lista, o problema não obtém o financiamento e a atenção que merece."


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Atendimento Médico-Hospitalar

Diagnósticos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão