Espaço e tempo estão entrelaçados em nossa mente

Espaço e tempo estão entrelaçados em nossa mente
Ao contrário da teoria de Einstein, na qual o espaço e o tempo são mutuamente inseparáveis, na mente humana eles são separados de forma assimétrica.
[Imagem: Wikimedia]

Tempo e espaço na mente

O espaço e o tempo estão entrelaçados em nossos pensamentos, assim como eles estão no mundo físico. Mas a relação entre eles é diferente na Física e na mente humana.

Durante séculos, os filósofos têm debatido exatamente como essas dimensões estão relacionadas em nossos pensamentos. E parece que essa relação é mais profunda e começa mais cedo do que se imaginava.

Mente das crianças

Para estudar exatamente como se dá essa relação, um grupo de cientistas resolveu estudá-la em crianças, quando ela ainda não foi afetada pelo aprendizado e pela cultura.

De acordo com o artigo publicado no exemplar de Abril da revista Cognitive Science, a capacidade das crianças em entender o tempo é inseparável do seu entendimento do espaço.

Para estudar a relação entre o espaço e o tempo nas mentes em desenvolvimento das crianças, os pesquisadores mostraram-lhes filmes de corrida de dois caracóis ao longo de caminhos paralelos. Cada corrida tinha diferentes distâncias ou durações diferentes.

Tempo é inseparável do espaço

As crianças tinham que julgar ora o aspecto espacial de cada corrida - dizendo qual animal percorreu uma distância maior - ora o aspecto temporal - apontando qual animal correu por mais tempo.

Ao julgarem a distância, as crianças não tiveram nenhum problema em ignorar o tempo. Mas, quando lhes foi pedido para julgar o tempo, elas mostraram dificuldade em ignorar a dimensão espacial do evento.

Os caracóis que se moveram por uma distância maior foram incorretamente apontados como tendo viajado por mais tempo.

Ou seja, as crianças utilizam a distância física para medir a passagem do tempo.

Tempo na linguagem e na mente

Na maioria dos idiomas ocidentais, é difícil falar sobre o tempo sem utilizar conceitos e palavras que se referem ao espaço. Todos entendem quando se fala sobre "reuniões curtas" ou "férias longas".

Será que a confusão das crianças é resultado do uso corrente de palavras que têm significados tanto espacial quanto temporal?

Para evitar essa confusão, os cientistas fizeram os experimentos com crianças gregas. Os gregos utilizam um tipo diferente de vocabulário espacial para o tempo, descrevendo o tempo como se ele se acumulasse em um espaço tridimensional, em vez de considerá-lo como se estendendo ao longo de um espaço linear.

Em grego, foi possível formular perguntas naturalmente, evitando palavras ambíguas, como "longo" ou "curto". Desta forma, as respostas das crianças não foram geradas por confusões superficiais no texto - elas refletem ligações conceituais profundas entre o espaço e o tempo.

Relatividade do tempo psicológico

Se o tempo é avaliado em relação ao espaço, será que nossa mente captura intuitivamente a mesma relação entre essas dimensões defendida pela física moderna?

"Einstein fez uma pergunta semelhante ao psicólogo infantil, Piaget", afirma Daniel Casasanto, do Instituto Max Planck de Psicolinguística, na Holanda, que fez a pesquisa juntamente com seus colegas das universidades Aristóteles de Tessalônica, na Grécia e Stanford, nos Estados Unidos.

"Mas é pouco provável que nossas intuições sobre o tempo sejam formadas por algo tão contraintuitivo quanto a relatividade de Einstein," afirma ele.

Ao contrário, esta pesquisa mostra uma relação diferente. Na física, o espaço e o tempo são teorizados como sendo mutuamente inseparáveis.

Na mente, no entanto, eles são separados de forma assimétrica. As crianças podem pensar sobre o espaço independentemente do tempo, mas parece que elas não podem conceituar tempo independentemente do espaço.


Ver mais notícias sobre os temas:

Educação

Mente

Cérebro

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.