Surge uma nova esperança para controlar o colesterol

Produção de colesterol

Um caminho novo e promissor para inibir a produção de colesterol no organismo acaba de ser descoberto.

Essa nova rota pode produzir tratamentos tão eficazes como os medicamentos existentes, mas com menos efeitos colaterais.

A equipe do Dr. Andrew Brown, da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, descobriu que uma enzima conhecida como esqualeno mono-oxigenase (SM) desempenha um papel na produção de colesterol que se desconhecia até hoje.

A esqualeno mono-oxigenase é uma de um grupo de pelo menos 20 enzimas envolvidas na linha de montagem que produz o colesterol em todo o corpo.

Mas apenas uma - a HMG-CoA redutase (HMGR) - é atualmente usada na fabricação de medicamentos para controlar os níveis de colesterol no sangue.

Estatinas

"A classe de medicamentos mais comumente usada para baixar o colesterol - as estatinas - são os grandes sucessos do mundo farmacêutico, e funcionam inibindo a HMGR," diz o professor Brown.

"Mas a HMGR está envolvida muito no início da linha de produção. Assim, sua inibição afeta todas as outras etapas na sequência dessa linha de produção, incluindo outros produtos úteis que ela gera - e isso pode dar origem aos efeitos colaterais indesejados, como dores musculares," explica.

Já a enzima SM funciona quase no final da linha de produção do colesterol, o que significa que ela pode ser usada para bloquear a produção do colesterol sem afetar a produção de outros compostos úteis ao organismo.

Importância do colesterol

"O colesterol ganhou uma má fama, o que faz com que muitas pessoas não saibam que ele é realmente essencial para um corpo saudável. O colesterol é necessário, por exemplo, para produzir os hormônios sexuais e para ajudar a construir as paredes de cada uma das células do nosso corpo," explica o pesquisador.

Normalmente, a produção de colesterol é muito bem controlada por meio de um sistema de checagens e equilíbrios.

O problema surge quando temos um estilo de vida, muitas vezes combinado com uma predisposição genética, que resulta na produção de muito colesterol que não chega a ser utilizado.

Isso pode sobrecarregar os controles, gerando desequilíbrios e causando doenças cardiovasculares.

Analogia da água

É mais ou menos como o fornecimento de água para uma casa: a água é essencial, mas se você coloca um hidrante na pia e deixa ele vazando o tempo todo, o efeito pode ser catastrófico.

Nessa comparação, é como se as estatinas controlassem o fornecimento de água no registro externo da casa - para controlar o vazamento da pia, toda a casa pode ter seu funcionamento afetado.

Quando o novo composto agora descoberto for usado para desenvolver novas drogas de controle do colesterol, isso equivalerá a diminuir o fluxo de água em uma torneira específica, sem afetar o resto da casa.

Antes disso, porém, os pesquisadores precisarão testar a esqualeno mono-oxigenase em humanos, para verificar seu funcionamento e sua segurança.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sistema Circulatório

Coração

Desenvolvimento de Medicamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.