Surgem esperanças de uma vacina contra Alzheimer

Estimular a defesa natural

Cientistas da Universidade de Laval (Canadá) descobriram uma forma de estimular o mecanismo de defesa natural do cérebro em pessoas com Mal de Alzheimer.

A descoberta, publicada na revista científica PNAS, abre o caminho para o desenvolvimento de um tratamento para a doença, hoje incurável.

Mais do que isso, afirmam o Dr. Serge Rivest e sua equipe, os resultados abrem a possibilidade da criação de uma vacina contra Alzheimer.

Placas senis

Uma das principais características do Mal de Alzheimer é a produção de uma molécula conhecida como beta amiloide.

As células microgliais, as defensoras do sistema nervoso, são incapazes de eliminar essa substância, que se acumula e forma placas conhecidas como placas senis.

Os pesquisadores agora identificaram uma molécula que incrementa a atividade das células imunológicas do cérebro - a molécula é chamada MPL (lipídio monofosforil A).

Em um estudo em camundongos, injeções de MPL por um período de 20 semanas eliminaram até 80% das placas senis.

Além disso, testes que avaliam a capacidade dos camundongos para aprender novas tarefas mostraram melhorias significativas de desempenho no mesmo período.

Vacina contra Alzheimer?

Segundo os pesquisadores, há duas possibilidades de uso para a MPL.

Na primeira, a droga poderia ser injetada por via intramuscular para retardar o desenvolvimento da doença.

Na segunda, ela poderia ser incorporada em uma vacina para estimular a produção de anticorpos contra as amiloides beta.

"A vacina poderia ser dada a pessoas que já têm a doença para estimular sua imunidade natural," disse o Dr. Rivest. "Ela também poderia ser administrada como medida preventiva em pessoas com fatores de risco para a doença de Alzheimer".

Antes disso, porém, será necessário efetuar os testes clínicos em humanos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Vacinas

Cérebro

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.