Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

05/09/2016

EUA tiram sabonetes antibacterianos do mercado

Com informações da BBC

Sem eficácia

As propagandas de sabonetes antibacterianos nos lembram insistentemente que o mundo está cheio de germes e há sujeira em cada canto, mas esses produtos podem fazer mais mal do que bem à saúde.

É a opinião da FDA (Food and Drug Administration), órgão que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos. Por anunciarem propriedades antibacterianas, esses produtos de higiene pessoal recaem sob sua alçada dessa entidade, normalmente envolvida com autorizações de medicamentos e tratamentos de saúde.

A FDA determinou que, em até um ano, não sejam mais vendidos sabonetes que contenham algum dos 19 ingredientes vetados pelo órgão, como os agentes químicos triclosan e triclocarban, presentes na maioria destes sabonetes.

"Os consumidores podem acreditar que eles são mais eficientes para evitar a proliferação de germes, mas não temos evidência científica disso", disse Janel Woodcock, diretora do Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos da FDA.

Riscos à saúde

Em 2013, autoridades dos Estados Unidos pediram que fabricantes demonstrassem com pesquisas, inclusive com estudos clínicos, que estes produtos são mais eficazes do que os sabonetes comuns no combate à propagação de doenças e redução de infecções.

As empresas não provaram isso, diz a FDA, ou o que lhe foi entregue foi considerado insuficiente para garantir a segurança e a eficácia dos produtos.

O pedido também se baseou em pesquisas que sugeriam que a exposição prolongada aos ingredientes presentes nos sabonetes antibacterianos poderia levar a riscos à saúde, como o aumento da resistência bacteriana ou alterações hormonais.

Agora, os fabricantes terão um ano para retirar os sabonetes antibacterianos do mercado ou mudar sua fórmula.

Água e sabão comum

As autoridades de saúde reforçam que lavar-se com água e sabão - sabão comum - continua a ser uma das medidas mais importantes para evitar doenças e a proliferação de germes.

Caso não haja água e sabão disponível e se opte por gel antisséptico, o FDA recomenda que seja um produto à base de álcool, com uma concentração de ao menos 60%.


Ver mais notícias sobre os temas:

Higiene Pessoal

Infecções

Bactérias

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?