Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

15/10/2013

Exame genético identifica câncer de próstata que precisará de tratamento

Redação do Diário da Saúde

Vigilância ativa

O nível de expressão de três genes associados com o envelhecimento celular pode ser utilizado para prever se um câncer da próstata de baixo risco se manterá em seu ritmo de crescimento lento.

O uso desse biomarcador de três genes, em conjunto com os testes de câncer já existentes, poderá ajudar os médicos a determinar melhor quais homens com câncer de próstata podem ser acompanhados com segurança através da "vigilância ativa".

A vigilância ativa evita os riscos de remoção da próstata ou de outros tratamentos invasivos. Vários estudos têm indicado que esta é a melhor opção para um grande número de homens diagnosticados com tumores em estágio inicial.

"A maioria dos 200 mil cânceres da próstata diagnosticados a cada ano nos EUA é de crescimento lento e vai continuar assim, mas o biomarcador de três genes pode eliminar muito da adivinhação no processo de diagnóstico e assegurar que os pacientes não serão nem tratados em excesso e nem ficarão sem tratamento," disse Cory Abate-Shen, do Centro Médico da Universidade de Colúmbia, responsável pela pesquisa.

Senescência celular

"O problema com os exames atuais é que não podemos identificar a pequena porcentagem de tumores de crescimento lento que acabará por tornar-se agressivo e se espalhar além da próstata", disse o coautor Mitchell Benson.

Em sua busca por um biomarcador, os pesquisadores centraram sua atenção em genes relacionados ao envelhecimento, particularmente aqueles afetados pela senescência celular, um fenômeno natural no qual as células mais velhas deixam de se dividir, mas permanecem metabolicamente ativas.

A senescência celular é conhecida por desempenhar um papel crítico na supressão de tumores em geral, e tem sido associada a lesões benignas da próstata em modelos animais e em seres humanos.

Exame genético identifica câncer de próstata que precisará de tratamento
A maioria dos 200 mil cânceres da próstata diagnosticados a cada ano é de crescimento lento e vai continuar assim. [Imagem: CUMC/Genes & Development]

100% de acerto

Neste estudo, os testes em animais foram confrontados com biópsias de 43 pacientes que tinham sido monitorados por pelo menos 10 anos pela vigilância ativa.

Todos os pacientes haviam sido inicialmente diagnosticados com câncer de próstata de baixo risco, como definido por várias medidas, incluindo a chamada pontuação de Gleason, com 6 pontos ou menos.

Dos 43 pacientes, 14 desenvolveram o câncer de próstata avançado, uma incidência de cerca de 32%.

Todos os 14 foram corretamente identificados pelo novo teste de três genes.

Os pesquisadores agora planejam avaliar o exame em um ensaio clínico prospectivo com um número mais significativo de pacientes.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde do Homem

Câncer

Genética

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?